ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  08    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Covid acaba até com tradicional Banho de São João em junho

Turismo está fechado na cidade desde o dia 20 de março e até a festa será suspensa para evitar aglomerações

Por Rosana Siqueira | 20/04/2020 16:01
Uma das festas mais tradicionais da cidade, o Banho de São João foi suspensa. (Arquivo)
Uma das festas mais tradicionais da cidade, o Banho de São João foi suspensa. (Arquivo)

Com cerca de 98% de queda nos negócios desde o início da chegada do coronavírus ao Estado, o setor de turismo de Corumbá sofre com os reflexos da crise por conta da doença. Um dos efeitos será a suspensão do famoso Banho de São João, tradição única que vem sendo mantida por gerações.

Os festejos reúnem milhares de turistas e têm como ponto alto o desfile de andores pela Ladeira Cunha e Cruz para levar a imagem de São João para ser banhada nas águas do rio Paraguai. O cancelamento da festa ocorre diante das recomendações do Ministério da Saúde e evitar aglomerações que facilitem a disseminação da covid-19.

“Suspendemos a programação não vamos ter não banho de São João em junho, diante da disseminação da doença. Estamos vendo outras datas, a situação do que vai ocorrer daqui para frente”, confirmou o diretor-presidente da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá.

No município todos os atrativos turísticos estão fechados, além da rodoviária, aeroporto e a proibição de ônibus e vans na entrada da cidade.

De acordo com a presidente da Fundação de Turismo de Corumbá, Elisângela Sienna Oliva, desde o dia 20 de março, por iniciativa dos próprios empresários, o setor suspendeu as atividades.

“Agora na semana passada saiu o decreto da Prefeitura assegurando as medidas de prevenção para conter o a doença”, afirmou. A presidente da Fundação alega que apesar de queda no movimento muitos turistas estão fazendo remarcações das viagens e reservas. “O movimento caiu 98% desde o início da pandemia,mas muitos turistas continuam remarcando graças a Deus. A paralisação afetou desde hotéis até os barcos, todo o setor”, ressaltou Elisângela.

Mesmo assim ela diz que não foram feitas demissões. “Não temos previsão de retorno das atividades, vamos seguir com o decreto, mas felizmente o demissões por enquanto ainda não estão ocorrendo”, acrescentou.


Nos siga no Google Notícias