ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

Em Campo Grande, mãe pede ajuda para enterro do filho esquartejado em Manaus

Família precisa de R$ 1.500 para velar e sepultar rapaz na capital do Amazonas, onde ele vivia há 4 meses

Por Ana Oshiro | 15/09/2021 09:51
Jovem posa para foto publicada no Facebook, em agosto deste ano. (Foto: Redes Sociais)
Jovem posa para foto publicada no Facebook, em agosto deste ano. (Foto: Redes Sociais)

Diego Gomes, de 22 anos, foi sequestrado e esquartejado por uma facção criminosa, em Manaus, a mais de 3 mil km de Campo Grande. Diego era morador do Nova Lima, em Campo Grande, e havia se mudado para a capital do Amazonas, Região Norte do país, há quatro meses.

A família pede ajuda para enterrar o jovem em Manaus mesmo. "A gente precisa de R$ 1.500 pra funerária de lá costurar o corpo dele, comprar o caixão e enterrar. Vamos ter que sepultar ele lá no Norte do Brasil, pra trazer o corpo, ficaria R$ 12 mil e não tem condições mais, porque ele foi morto no domingo", diz Maria Dione Gomes Martins, dona de casa e mãe de Diego, que mora em Campo Grande.

Diego foi sequestrado no domingo à noite, a suspeita é que membros da facção Comando Vermelho tenham esquartejado o rapaz. "Ele tava dentro de casa, entraram e pegaram ele. O Comando Vermelho descobriu que ele era de Mato Grosso do Sul e achou que meu filho fosse do PCC, aí mataram. Mataram meu filho de graça", desabafou Maria, que contou ao Campo Grande News que o filho era apenas usuário de maconha e, até onde ela sabia, nunca vendeu drogas ou se envolveu com o PCC.

Corpo foi encontrado na manhã de terça-feira, em vários sacos de lixo. (Foto: Divulgação PC-AM)
Corpo foi encontrado na manhã de terça-feira, em vários sacos de lixo. (Foto: Divulgação PC-AM)

Os assassinos chegaram a publicar um vídeo nas redes sociais de Diego, do rapaz sendo esquartejado. "Antes de matar, eles pediram e-mail e senha do face do meu filho e postaram um vídeo tirando a cabeça dele, jorrando sangue. Quando eu vi aquilo, não sei nem explicar, chamei minha nora, que tava aqui, e perguntei se era de verdade, se era alguma montagem. Achei que eu fosse morrer, parece que minha vida tinha acabado ali, naquele momento. É uma dor tão grande, não tenho nem palavras pra explicar", disse Maria, aos prantos, por telefone.

Quem puder ajudar a família, pode depositar qualquer valor através de um PIX, pelo CPF 682.517.262-04. "Só quero dar um enterro digno pro meu filho. Qualquer valor me ajuda, eu não condição de pagar todo esse dinheiro", pediu Maria.

O corpo de Diego foi encontrado na manhã desta terça-feira (14), dentro de sacos de lixo, na zona oeste de Manaus. De acordo com o site local, D24am, além da cabeça, os pés e um dos braços de Diego também foram arrancados do corpo. O caso segue em investigação pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros de Manaus.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário