ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  01    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Estado tem 37 pacientes internados fora e precisa de UTI para mais 160

Somente em Campo Grande, fila de espera é de 106 pessoas

Por Lucia Morel | 15/06/2021 16:13
Primeira paciente transferida de MS foi de Bonito para Rondônia. (Foto: Governo de MS)
Primeira paciente transferida de MS foi de Bonito para Rondônia. (Foto: Governo de MS)

Mato Grosso do Sul já soma 37 pacientes com covid-19 transferidos a Rondônia ou São Paulo para tratamento em UTI (Unidade de Terapia Intensiva), e maioria deles – 18 – são de Dourados. Campo Grande e São Gabriel do Oeste mantém quatro pacientes, cada um, fora de MS.

Há ainda sul-mato grossenses das cidades de Bonito, Itaquiraí e Maracaju em leitos intensivos emprestados por aqueles estados. A medida foi adotada porque o Estado não tem mais condições em seus hospitais de ampliar o número de UTIs, principalmente devido a falta de mão de obra, já que os profissionais de saúde já estão sobrecarregados com as 596 vagas intensivas em funcionamento em MS.

Hoje, mais três pessoas estão a caminho de UTIs fora do Estado, o que foi autorizado pelas famílias. Uma delas paciente é de Campo Grande, outra de Maracaju e mais uma de São Gabriel do Oeste.

Mesmo com a ajuda humanitária desses estados e a ampliação já realizada em MS, há ainda 170 pessoas com covid-19 precisando de um leito de UTI em Mato Grosso do Sul, sendo 106 delas em Campo Grande.

Arte: Ricardo Gael
Arte: Ricardo Gael

Nesses casos, os pacientes ficam em leitos improvisados, como em UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), onde há falta de medicamentos específicos de UTI e de equipamentos para exames necessários. Tal situação, faz muitas famílias recorrerem à Justiça para conseguirem a vaga, que nem sempre surge antes da ocorrência de um óbito.

Números – as transferências começaram no sábado, dia 5 de junho, quando nove pacientes foram transferidos para o Estado de Rondônia, sendo 7 de Dourados, um de Bonito e outro de Itaquiraí, que estava internado em Eldorado.

Durante o restante das semanas, mais foram levados para Rondônia e São Paulo, totalizando agora 37, sendo 27 em cidades paulistas (São Bernardo do Campo e São Paulo) e dez na capital rondoniense, Porto Velho.

A única alta até o momento é de uma paciente de 29 anos que estava internada em Porto Velho desde 4 de junho. Ela retornou para a cidade de Dourados na semana passada em avião comercial, com a passagem custeada pelo Governo do Estado.

Entre os quatro óbitos, dois são pacientes de Campo Grande que estavam em São Paulo e outros dois de Dourados – que estava em Rondônia – e Maracaju – que estava em São Paulo. A idade das vítimas era entre 52 e 76 anos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário