ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 29º

Cidades

Fiscalização do TCE em unidades de saúde será estendida para o interior de MS

Tribunal de Contas ainda não tem cronograma pronto, mas segue programação nacional de inspeções

Cassia Modena | 31/05/2023 12:49
Integrantes da equipe que fiscalizou UBS 26 de Agosto durante a manhã (Foto: Henrique Kawaminami)
Integrantes da equipe que fiscalizou UBS 26 de Agosto durante a manhã (Foto: Henrique Kawaminami)

Iniciada na manhã desta quarta-feira (31), a fiscalização de auditores do TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado) nas unidades de saúde de Campo Grande será estendida a outros municípios de Mato Grosso do Sul.

A informação foi dada pelo coordenador da ação no Estado, Haroldo OIiveira Souza. Ele disse também que a equipe envolvida é formada por 22 auditores externos, algo inédito para o TCE-MS, que costuma empregar número menor de pessoas nesse tipo de trabalho. "É um teste desse modelo de fiscalização. Nunca trabalhamos com equipe tão grande", destacou.

A previsão é que a fiscalização se encerre no fim do dia na Capital, quando o total de 33 unidades terá recebido o TCE-MS. Até o momento, auditores do órgão estiveram nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) Mata do Jacinto, Coronel Antonino, 26 de Agosto, Vila Carlota e Estrela do Sul.

Os principais pontos observados são infraestrutura, medicamentos e insumos, e serviços de forma geral, com ênfase nos prestados pelos servidores da saúde.

Sala onde mulheres fazem exames, na UBS Coronel Antonino (Foto: Henrique Kawaminami)
Sala onde mulheres fazem exames, na UBS Coronel Antonino (Foto: Henrique Kawaminami)

Entre os problemas já encontrados estão sala de inalação utilizada como despensa; ausência de farmacêutico; banheiro não adaptado para uso por pessoa com deficiência; más condições na estrutura e equipamentos das unidades de saúde. O Campo Grande News detalhou aqui.

Motivação - Haroldo explicou também que a fiscalização não foi motivada por denúncias ou interesses políticos que prevejam efeitos para 2024, ano de eleições municipais.

"Temos o viés de fazer um diagnóstico e é um projeto que será expandido para todo o Estado. Não existe o viés de denúncia ou de política, e não aconteceu nada em específico que motive a fiscalização. Ela foi planejada. Todos os Tribunais de Contas Estaduais estão com essa perspectiva de analisar os serviços de saúde no Brasil todo", justificou.

O coordenador frisou, ainda, que foi dada ciência sobre ação anteriormente e que ela não se trata de uma surpresa. "O que queremos é saber se os serviços estão oferecendo o que a sociedade está esperando", pontuou.

Desdobramentos - Em duas ou três semanas, o resultado das fiscalizações em Campo Grande será apresentado ao relator da ação, o conselheiro Marcio Monteiro. A partir daí, serão definidos os próximos passos. "O conselho relator receberá um relatório final e, então, poderá fazer recomendações e definir que pontos mais sensíveis sejam aprofundados em futuras fiscalizações", inclui Haroldo.

O TCE-MS ainda não fechou um cronograma com os municípios de Mato Grosso do Sul que receberão a ação.

Nos siga no Google Notícias