ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  13    CAMPO GRANDE 29º

Cidades

"Foi hipocrisia", diz Fetems sobre comemoração de Ministro da Educação

Milton Ribeiro celebrou inclusão de professores em lista de prioridades da vacina, mas lista não mudou

Por Ana Oshiro | 04/03/2021 11:41
Vacina está sendo aplicada nos primeiros grupos prioritários (Foto: Henrique Kawaminami)
Vacina está sendo aplicada nos primeiros grupos prioritários (Foto: Henrique Kawaminami)

Milton Ribeiro, Ministro da Educação, comemorou a "inclusão" dos professores e trabalhadores da educação na lista de prioridades para receber a vacina da covid-19, mas a lista já trazia essa parte da população como prioridade desde o início do ano, quando foi divulgado o Plano Nacional de Imunização pelo Ministério da Saúde.

"Foi hipocrisia, já que os trabalhadores estão nessa prioridade desde o começo, mas lá nas últimas prioridades do plano", disse Jaime Teixeira, presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), sobre a declaração de Milton. De acordo com Jaime, a Fetems continuará pedindo que as autoridades coloquem os professores no topo da lista de prioridades, pra que as aulas presenciais possam voltar com segurança aos profissionais e todos envolvidos.

"É importante deixar claro que nossa luta é para que toda população seja vacinada, mas os trabalhadores da educação precisam ser imunizados antes que as aulas retornem, nós temos contato com muita gente quando estamos trabalhando presencialmente", completou o presidente da Fetems.

Publicação de ministro da educação no Twitter (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Publicação de ministro da educação no Twitter (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Na publicação em rede social, Milton escreve: "Visando o mais breve e seguro retorno às aulas presenciais, o presidente Jair Bolsonaro incluiu os profissionais da educação no grupo prioritário de vacinação contra o Covid-19. Obrigado por atender mais essa demanda do MEC, presidente", junto de um ofício do MEC ao ministro da Casa Civil. A data do ofício foi suprimida na postagem do ministro, mas o documento é de 2020, como pode ser visto no número do ofício "Nº 2213/2020".

O Ministério da Saúde afirmou que a lista de prioridades segue a mesma divulgada em janeiro de 2021, caso alguma mudança seja realizada, o Plano de Vacinação será atualizado no site do ministério.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário