ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  03    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Fundesporte vai distribuir cestas básicas a selecionados em programa estadual

Professores iriam atuar nas escolas, mas com a pandemia não foram contratados e estão sem renda

Por Leonardo Rocha | 05/07/2020 13:00
Cestas básicas que serão entregues a profissionais (Foto: Glauber Filho - Fundesporte)
Cestas básicas que serão entregues a profissionais (Foto: Glauber Filho - Fundesporte)

A Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul) vai distribuir 240 cestas básicas a profissionais de educação física, que foram selecionados no programa “MS Deporto Escolar” e iriam atuar nas unidades da rede estadual de ensino.

Com a suspensão das aulas desde março, devido a pandemia do coronavírus, estes profissionais não foram contratados. Um grupo de 80 professores entraram em contato com a Fundesporte, alegando que não tinham outro serviço ou renda, além da participação no programa.

Por esta razão a Fundação possibilitou que tais profissionais recebessem cestas básicas referentes aos meses de maio, junho e julho, para ajudar neste momento.  “Estávamos justamente na fase de renovação dos contratos. Sabemos que alguns desses profissionais só têm como fonte de renda o vínculo com o programa e estavam passando por dificuldades financeiras”, esclareceu o diretor-presidente da Fundesporte, Marcelo Miranda.

O programa em que estes profissionais participam faz parte de uma parceria entre o Nesp (Núcleo de Esportes) e a SED (Secretaria Estadual de Educação), que tem como objetivo incentivar a prática esportiva nas unidades educacionais.

Os contemplados com as cestas básicas poderão retirar os produtos na sede da Fundesporte, em Campo Grande. Já aqueles que moram no interior do Estado, devem entrar em contato pelo telefone: 3323-7206, para identificar o local de entrega dos itens.

As aulas na rede estadual de ensino foram suspensas na segunda quinzena de março, devido a chegada da pandemia do coronavírus, em Mato Grosso do Sul. O último decreto publicado pelo governo prorrogou esta paralisação até 30 de julho, já que nas últimas semanas houve aumento exponencial de casos no Estado.