ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SEGUNDA  08    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

Governo de MS envia avião para buscar doses da vacina em SP

Doses serão distribuidas aos estados pelo Ministério da Saúde a partir das 7h desta segunda-feira (18)

Por Ana Paula Chuva | 17/01/2021 17:32
Secretário estadual de Saúde foi junto para São Paulo. (Foto: Governo de MS)
Secretário estadual de Saúde foi junto para São Paulo. (Foto: Governo de MS)

O governador Reinaldo Azambuja enviou o avião do Estado para São Paulo para buscar as doses da vacina destinadas a Mato Grosso do Sul. Na aeronave, que levantou voo por volta das 17h20 de hoje,  foram junto o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende e o chefe de gabinete, Flávio Brito. No entanto, os imunizantes serão trazidos por uma aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira).

Em nota Reinaldo declarou que a aprovação emergencial das vacinas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é uma conquista importante tanto para a ciência quanto para os brasileiros.

“Entendo que não há nenhuma outra tarefa mais urgente do que esta: imunizar o mais rápido possível toda a população para a retomada da economia e, principalmente, para salvar vidas”, disse o governador.

Sobre o envio do avião do governo estadual, Reinaldo declarou que ato é para dar mais agilidade ao processo no Estado que já está organizado para o início da imunização.

“Já temos a logística construída para que a vacinação em nosso estado se inicie imediatamente após o recebimento das doses da vacina e distribuição aos 79 municípios, pois temos pressa em parar de perder vidas, reduzir os riscos de comprometimento grave do sistema de saúde e recuperar os empregos.”, finalizou Azambuja.

De acordo com Geraldo Resende, Mato Grosso do Sul recebe neste primeiro momento 97 mil doses, que devem ser empregadas no PNI (Plano Nacional de Imunização) que na primeira fase tem 6 milhões de doses da CoronaVac do Instituto Butantan.

Mato Grosso do Sul recebe 97 mil doses que serão aplicadas primeiro em idosos que estão em asilos, depois na população indígena e em terceiro nos profissionais de saúde que estão na linha de frente da covid-19", explicou antes do embarque para São Paulo.

O secretário ainda relembrou a informação que foi dada mais cedo, de que será feito um esforço para que os municípios recebam as doses em no máximo 48 horas, mas que a intenção é entregar antes disso.

"Nosso plano é audacioso, nós queremos entregar as doses em todos os municípios do Estado, nas 597 unidades de vacinação em até 48 horas, mas vamos nos esforçar para quem em 24 horas estejam em todos os municípios para iniciarmos a vacinação exatamente às 9 horas de MS na quarta-feira", ressaltou.

Em Mato Grosso do Sul, a chegada das doses não tem horário definido, mas será no Aeroporto Internacional de Campo Grande. Equipes da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal farão a escolta do caminhão até o pátio da Ceve (Coordenação Estadual de Vigilância Epidemiológica), onde a distribuição será feita pelas forças estaduais.



Vacina em MS - Mais cedo o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende declarou que assim que chegarem no Estado as doses da vacina serão encaminhadas para os municípios.

“Mato Grosso do Sul está preparado para receber as doses da vacina enviadas pelo Ministério Público. A distribuição aos municípios deve ser feita em no máximo 48 horas contadas a partir do momento em que as doses  tocarem o solo sul-mato-grossense", declarou Geraldo.

Grupos inicialmente listados como prioritários (Foto/Reprodução)
Grupos inicialmente listados como prioritários (Foto/Reprodução)

Na versão inicial do Plano Estadual de Vacinação, que ainda será divulgado, estão previstas três fases para aplicação das doses, sendo que só na primeira está prevista a imunização de ao menos 713.296 pessoas, mas pode chegar aos 890.623 se houver a inclusão de outros grupos prioritários não listados pelo Ministério da Saúde ainda.

Aprovação – Hoje a Anvisa aprovou o uso emergencial das vacinas AstraZeneca da Oxford e a CoronaVac do Instituto Butantan. Em São Paulo inclusive uma enfermeira da linha de frente no enfrentamento a doença foi a primeira a receber a dose do imunizante.

Sobre a eficácia dos imunizantes, a vacina AstraZeneca fechou em 70% de eficácia geral e a CoronaVac em 50,38%. O que significa que se a pessoa receber a dose do imunizando de Oxford ele tem 30% de chance de desenvolver a doença apenas. E 49,62% no caso da vacina chinesa.

* Matéria atualizada às 18h13 para acréscimo de informações.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário