ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  01    CAMPO GRANDE 28º

Cidades

Jovens passaram a consumir mais álcool durante a pandemia, aponta pesquisa

Maioria dos entrevistados diz que não aumentou consumo, mas pesquisa no País identificou alta entre os jovens

Por Silvia Frias | 30/03/2021 08:01
Pesquisa sobre consumo de álcool foi realizada com 2.020 pessoas de 26 estados e no Distrito Federal (Foto/Arquivo)
Pesquisa sobre consumo de álcool foi realizada com 2.020 pessoas de 26 estados e no Distrito Federal (Foto/Arquivo)

Pesquisa realizada com 2.020 pessoas em 26 estados e no Distrito Federal indica que maioria dos entrevistados não aumento consumo de bebida alcoólica. Entre os homens, 73,2% e, entre as mulheres, 81%. No grupo que admite o contrário estão os jovens de 16 a 34 anos.

A pesquisa foi realizada pelo instituto Paraná Pesquisa entre os dias 1º e 4 de março. O grau de confiança é de de 95% para margem de erro de 2% para resultados gerais.

A pergunta feita foi “O (a) Sr. (a) aumentou o consumo de bebida alcoólica durante este período de quarentena?”

Na pergunta entre homens e mulheres apenas 2,5% não souberam dizer ou preferiram não opinar.

O levantamento mostra que o maior percentual entre os que aumentaram o consumo está na faixa etária de 16 a 24 anos, 24,5%, seguido dos que têm de 25 a 34 anos, 22,4%. Os que dizem não terem aumentado o uso de bebida estão na faixa de 60 anos ou mais, 80,4%, seguido dos com idade de 45 a 59 anos, 79,2%.

No grau de escolaridade, os que têm ensino superior, 79,4%, também disseram que não aumentaram consumo e, no ensino fundamental está o percentual dos que passaram a beber mais, 21,5%

Os maiores consumidores estão nas regiões Norte e Centro-Oeste, segundo a pesquisa, em que 23,2% admitiram aumento do uso de bebida alcoólica. Os que disseram não, a concentração é no Sudeste, 78,6%

Da PEA (População Economicamente Ativa), o índice de “sim” para a pergunta foi de 22,9%, enquanto que os disseram não foi calculado em 77,1%

Se for comparada a evolução do consumo desde abril de 2020, quando a pesquisa foi feita pela primeira vez, houve decréscimo, passando dos que bebem, de 81,7% para 79% em maio de 2020 e 77,2% em março deste ano.

O aumento também é perceptível, de 14,8% em abril de 2020 para 17,4% em maio de 2020 e 20,3% em março de 2021.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário