ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 

Cidades

MS confirma mais de 50 mortes de covid, 7 vítimas estavam fora do grupo de risco

Nas últimas 24 horas, sete pessoas que morreram de covid-19 tinham menos de 60 anos e nenhuma comorbidade

Por Guilherme Correia | 01/04/2021 11:15
Ambulância chegando no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, principal no combate ao coronavírus no Estado (Foto: Kísie Ainoã)
Ambulância chegando no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, principal no combate ao coronavírus no Estado (Foto: Kísie Ainoã)

Boletim epidemiológico desta quinta-feira (1º) traz 1.859 infectados e 57 mortes de covid-19 em Mato Grosso do Sul, registrados nas últimas 24 horas - sendo que 7 delas eram de pacientes de fora do grupo de risco. Com dados atualizados, o Estado acumula mais de 217 mil casos e 4.334 óbitos causados pelo coronavírus.

Estavam entre as pessoas sem nenhuma comorbidade e com menos de 60 anos: uma mulher de Ponta Porã, de 30 anos, um homem de Campo Grande, de 54, uma mulher de Bonito, de 49, um homem de Coxim, de 39, uma mulher de Anastácio, de 47, uma mulher de Naviraí, de 57, e uma mulher de Campo Grande, de 50.

Conforme a SES (Secretaria Estadual de Saúde), março é disparado o mês mais letal da pandemia. Foram 975 mortes neste período, enquanto dezembro - mês com mais mortes até então - teve 587 vítimas fatais.

Além disso, hoje há mais de 15,1 mil pacientes com o vírus ativo. Ou seja, que ainda estão se curando da doença, e, conforme monitoramento feito pelas autoridades de saúde, estão em isolamento domiciliar (quarentena).

Ainda há 1,2 mil pessoas internadas em leitos clínicos ou de terapia intensiva nas unidades públicas e privadas do Estado. Também segundo o documento, a macrorregião de saúde de Campo Grande é a mais preocupante no quesito das UTI's (Unidades de Terapia Intensiva). Todas estão ocupadas, e há excedente de 8% de hospitalizados ocupando estruturas inadequadas e improvisadas.

As mais de 50 vítimas confirmadas hoje tinham entre 28 e 82 anos. A mais jovem era uma mulher de Três Lagoas que possuía doença renal crônica. Já a mais velha era de Fátima do Sul e não tinha agravo de saúde.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário