ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEGUNDA  24    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

MS questiona no STF Lei das Apostas que abre competição entre Estados

Ação no Supremo quer derrubar restrição a participação de empresas em licitações

Por Aline dos Santos | 14/05/2024 08:21
Sessão plenária no Supremo Tribunal Federal. (Foto: Gustavo Moreno/STF)
Sessão plenária no Supremo Tribunal Federal. (Foto: Gustavo Moreno/STF)

Mato Grosso do Sul e outros cinco Estados questionam no STF (Supremo Tribunal Federal) a nova Lei das Apostas Esportivas (Lei 14.790/2023). A legislação ficou conhecida por regulamentar as apostas esportivas on-line (bets), mas também trouxe regras para exploração de loterias estaduais.

Na ação, os governadores de MS, São Paulo, Minas Gerais, Acre, Paraná, Rio de Janeiro e do Distrito Federal alegam que a norma, sancionada em dezembro do ano passado e que alterou trechos da Lei 13.756/2018, restringe que o mesmo grupo econômico possa obter concessão para explorar serviços lotéricos em mais de um Estado.

Para eles, essa restrição reduz a participação de empresas em licitações e favorece um ambiente de competição entre os Estados em que uns tendem a perder mais que outros.

De acordo com o artigo 35-A, “ao mesmo grupo econômico ou pessoa jurídica será permitida apenas 1 (uma) única concessão e em apenas 1 (um) Estado ou no Distrito Federal”.

“Essas consequências devem recair, principalmente, sobre os estados de menor pujança econômica. Isso porque, cabendo ao operador privado a concessão em apenas um estado, espera-se que serão priorizados, pelos agentes econômicos mais capacitados, aqueles cuja demanda populacional seja maior, bem como cuja população detenha maior poder aquisitivo, em prejuízo a estados menos atrativos”, argumentam os governadores.

O texto prossegue: “Ou seja, ao invés de fomentar a concorrência entre agentes privados, a restrição em questão estimula uma competição entre entes federativos, produzindo verdadeira afronta ao pacto federativo”.

Segundo o governo paulista, a título meramente exemplificativo, insta esclarecer que três dos maiores “players” mundiais na área de loterias estarão impedidos de participar do certame que vier a ser aberto pelo Estado de São Paulo, porque já celebraram contratos com outros Estados.

 Da mesma forma, os governadores consideraram desproporcional a alteração nas regras sobre a publicidade. A norma atual proíbe que a publicidade sobre o serviço de apostas seja veiculada em Estado diferente daquele em que o serviço é efetivamente prestado.

Os governadores alegam que o serviço prestado pelas loterias ocorre quando a pessoa adquire um bilhete, enquanto a publicidade busca apenas atrair um potencial usuário. Por isso, ao restringir a publicidade somente aos usuários localizados dentro dos limites territoriais do ente da federação, a lei viola a razoabilidade.

A Ação Direta de Inconstitucionalidade está sob relatoria do ministro Luiz Fux. Na segunda-feira (dia 13), o ministro deu prazo para que as partes se manifestem.

“A presente ação direta de inconstitucionalidade questiona dispositivos introduzidos na Lei federal 13.756/2018 pela da Lei federal 14.790/2023, os quais restringem, em tese, a exploração do serviço lotérico no âmbito dos Estados e do Distrito Federal. Percebe-se, assim, que a matéria se reveste de grande relevância e apresenta especial significado para a ordem social e a segurança jurídica. Nesse particular, enfatizo a conveniência de que a decisão venha a ser tomada em caráter definitivo”, aponta Fux.

A ação é assinada pelos governadores Eduardo Riedel (MS), Tarcísio de Freitas (São Paulo), Romeu Zema (Minas Gerais), Carlos Massa Ratinho Júnior (Paraná), Gladson de Lima Cameli (Acre), Cláudio Castro (Rio de Janeiro) e Ibaneis Rocha (Distrito Federal).

Lotesul – Em 24 de dezembro de 2021, o então governador Reinaldo Azambuja (PSDB)  sancionou o retorno do serviço público de loteria do Estado, popularmente conhecido como Lotesul. Os jogos já estavam suspensos há 15 anos.

Contudo, a tentativa de retomar a loteria esbarrou, no ano passado, em decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça), após o edital de chamamento ser impugnado.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias