ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUINTA  03    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

No mês do Outubro Rosa, campanha quer população LGBT fazendo exame

As campanhas de conscientização do Outubro Rosa também devem incluir mulheres lésbicas, bissexuais, homens e mulheres trans

Por Paula Maciulevicius Brasil | 24/10/2020 10:52
Durante visita ao hospital, Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT conheoceu instalações e fechou como será o atendimento à população LGBT. (Foto: Divulgação)
Durante visita ao hospital, Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT conheoceu instalações e fechou como será o atendimento à população LGBT. (Foto: Divulgação)

Em pleno Outubro Rosa, a população mais vulnerável aos serviços públicos de saúde ganha atenção. Depois de uma reunião da Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT no Hospital de Amor de Campo Grande (conhecido anteriormente como Hospital do Câncer de Barretos), na tarde de ontem (23), ficou definido como será o atendimento dos LGBT's na realização de exames preventivos e de mamografia.

"Neste primeiro momento estaremos realizando o agendamento dos exames através do Centrho (Centro de Referência em Direitos Humanos de Prevenção e Combate à Homofobia), reforçando que o atendimento prestado pelo Hospital é totalmente gratuito”, ressalta a psicóloga e coordenadora do Centhro Rebeca de Lima Pompilio.

Reunião da Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT aconteceu na tarde desta sexta-feira junto à direção do Hospital do Amor. (Foto: Divulgação)
Reunião da Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT aconteceu na tarde desta sexta-feira junto à direção do Hospital do Amor. (Foto: Divulgação)

Enfermeira responsável pela divulgação na parte de educação e saúde do hospital, Glauciely do Nascimento Pereira, ressalta que a falta de informação é uma das principais barreiras para detecção do câncer de mama ou de colo de útero, e pela experiência no hospital, nota a baixa procura da população LGBT por atendimento.

"Queremos fazer a inclusão dessas pessoas. Nosso objetivo é diminuir os indicadores com a prevenção, fazendo com que se sintam confortáveis e venham buscar o atendimento. Percebemos que há também resistência e talvez até um bloqueio pelo medo da falta do atendimento adequado, mas nós estamos preparados para atender qualquer pessoa dentro das suas especificidades", fala.

O Ministério da Saúde sugere que o papanicolau que é um exame simples e rápido que colhe células do colo do útero para análise em laboratório seja realizado por pessoas entre 25 e 64 anos de idade. Já a mamografia é recomendada entre 50 e 69 anos, com intervalos máximos de 2 anos, visando a detecção precoce do câncer de mama.

Para marcar - A população LGBT pode entrar em contato pelo telefone: 3316-9183 ou no e-mail: centrho@segov.ms.gov.br, para agendar os exames. É preciso ter em mãos os seguintes documentos: CPF, RG, Cartão do SUS e Comprovante de Residência.

Neste domingo, dentro das comemorações do Outubro Rosa, grupos de pedal vão fazer um passeio ciclístico. A saída será do relógio das flores, na Avenida Duque de Caxias, a partir das 7h.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário