ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 15º

Cidades

No pior momento da pandemia, mortes de jovens crescem mais que de idosos em MS

Mortes de idosos cresceram 13%, enquanto os óbitos de pacientes com idade entre 40 e 49 aumentaram 100%

Por Guilherme Correia | 29/03/2021 12:11
Pessoas com idade inferior a 60 têm morrido com mais frequência de covid-19 nas últimas semanas (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)
Pessoas com idade inferior a 60 têm morrido com mais frequência de covid-19 nas últimas semanas (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)

As mortes por covid-19 cresceram nas últimas semanas, e Mato Grosso do Sul vive pior momento da pandemia até então. Além disso, faixas etárias mais jovens tiveram crescimentos maiores entre março e fevereiro deste ano, indicativo dos efeitos da nova variante do coronavírus.

A reportagem separou as mortes por faixa etária e constatou que houve aumento de 40% nas mortes de pacientes com idade entre 20 e 29 anos, e de 44%, nos que tinham entre 30 e 39 anos. O maior aumento verificado foi na faixa etária de 40 a 49 anos - houve crescimento de 100%, ou seja, dobrou.

Mesmo que o aumento possa ser verificado em quase todas as faixas etárias devido a esse novo crescimento da virose no geral, as faixas etárias idosas (60 anos ou mais) tiveram aumentos inferiores a 13%.

A faixa etária de pessoas entre 50 e 59 anos teve aumento de 60% neste mês, já que foram 91 vítimas. Esse total de óbitos, inclusive, superou faixa etária acima de 80, que foram 88 vítimas.

Em coletiva feita pela SES (Secretaria Estadual de Saúde), quando variante do coronavírus havia sido confirmada no Estado há algumas semanas, a secretária-adjunta em Saúde, Crhstinne Maymone, explicou que a "nova cepa" a trazia consigo maior transmissibilidade. Ou seja, era mais fácil de ser espalhada na população.

O médico infectologista Julio Croda corrobora com essa visão, e concorda que parte desse fenômeno pode ser justificado pela presença da "P1", que teve origem em Manaus (AM), há cerca de três meses. "Há a nova variante e maior exposição dos jovens em festas, de fim de ano e agora no Carnaval", diz.

Outro efeito que pode ter relação com a presença dessa variação do vírus no Estado é o tempo de morte - que em março, apresentou uma redução drástica. Pacientes têm morrido mais rapidamente pela covid-19.

Por fim, conforme levantamento, a faixa etária de pacientes acima de 90 anos foi a única que teve redução, de aproximadamente 24% nas mortes - muito por causa do início do processo de imunização, analisado no início deste mês em reportagem.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário