A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019

28/05/2019 13:01

Operação da PF mira contratos da gestão anterior, reitera prefeitura em nota

O Executivo de Três Lagoas informou ainda que os dados sobre todos os certames estão à disposição da PF e CGU

Anahi Zurutuza
Viatura da PF em frente à Prefeitura de Três Lagoas na manhã de hoje (Foto: Enviada pelo WhatsApp/Perfil News)Viatura da PF em frente à Prefeitura de Três Lagoas na manhã de hoje (Foto: Enviada pelo WhatsApp/Perfil News)

A Prefeitura de Três Lagoas se manifestou no fim da manhã desta terça-feira (28) sobre a Operação Atalhos. Na nota, a administração do município do interior fez questão de ressalta o que já havia sido deixado claro pela Polícia Federal. “A operação investiga denúncia de irregularidades que teriam acontecido em licitações na gestão anterior”.

O Executivo municipal informou ainda que só tomou conhecimento da investigação nesta manhã, mas que a determinação do prefeito Angelo Guerreiro (PSDB) é para que todos os servidores colaborem com as investigações.

“Todos os procedimentos licitatórios do município de Três Lagoas são realizados em estrita observância ao interesse público, respeitando todos os parâmetros legais vigentes”, destaca a nota.

A prefeitura informou ainda que os dados sobre todos os certames estão à disposição da PF e CGU (Controladoria Geral da União).

Mala com dinheiro apreendida pela PF (Foto: PF/Divulgação)Mala com dinheiro apreendida pela PF (Foto: PF/Divulgação)

Atalhos - As investigações apontam fraude em três procedimentos licitatórios e contratações com recursos federais do Pnate (Programa Nacional de Transporte Escolar).

A Operação Atalhos identificou servidores e empresários envolvidos no esquema para direcionar as licitações para que determinadas empresas vencessem.

Os contratos, que somam R$ 12 milhões, são para a prestação de serviços para a Prefeitura de Três Lagoas de 2015 a 2017. Segundo a Polícia Federal, a apuração também chegou à soma de R$ 1,6 milhão em superfaturamento.

Os 21 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Três Lagoas, Campo Grande e Naviraí, além das cidades de Luiz Antônio e Americana, no interior de São Paulo. Treze investigados foram intimados a depor.

Deflagrada na manhã desta terça-feira (28), a força-tarefa esteve casa da ex-prefeita Márcia Moura e do ex-secretário de Educação, Mário Grespan. De acordo com a Rádio Caçula, ele foi levado para prestar esclarecimentos.

Também foram realizadas buscas na Secretaria de Educação de Três Lagoas. Outros endereços visitados são um escritório de contabilidade, Satélite 2, e uma empresa de transporte de passageiros, Crisptur.

No endereço de um dos “gestores alvos”, a PF encontrou dinheiro em espécie. Estima-se soma de cerca de R$ 4 milhões.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions