ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, QUINTA  26    CAMPO GRANDE 32º

Cidades

Polícia prende “hacker” contratado para rastrear capitão da PM alvo de milícia

Eurico dos Santos Mota foi preso em Joinville, em Santa Catarina; ele tentou fugir do local onde estava escondido, mas foi pego.

Por Anahi Zurutuza e Marta Ferreira | 21/11/2019 07:02
No camburão, Eurico dos Santos Mota, mais um alvo da Operação Omertà preso (Foto: Direto das Ruas)
No camburão, Eurico dos Santos Mota, mais um alvo da Operação Omertà preso (Foto: Direto das Ruas)

A Polícia Civil de Santa Catarina prendeu, no fim da tarde dessa quarta-feira (20), Eurico dos Santos Mota, de 28 anos, apontado pela Operação Omertà como o hacker contratato para rastrear e repassar informações sobre a rotina do capitão Paulo Roberto Teixeira Xavier à milícia armada alvo das investigações. Ele foi capturado por volta das 17h, no Bairro Boehmerwald, em Joinville.

Eurico tem contra ele prisão temporária decretada pela Omertà, segundo a polícia de Santa Catarina.

O hacker chegou a ser ouvido pela DEH (Delegacia Especializada de Homicídios) durante as apurações de execuções em Campo Grande, meses antes de deflagração da operação. Ele contou que foi procurado por José Moreira Freires, o Zezinho, e Juanil Miranda Lima, pistoleiros da milícia, segundo a força-tarefa. A missão de Eurico seria levantar “em tempo real, por meio de atividades de informática (hackeamento), a localização (rastreamento) de Paulo Roberto Xavier, que era o alvo da organização criminosa”, foi registrado nas páginas do procedimento de investigação criminal contra o grupo de extermínio.

O filho do capitão da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, o estudante Matheus Coutinho Xavier, 20 anos, foi executado em 9 de abril deste ano. O pai logo disse que o crime foi por engano e que ele era o alvo.

Também no depoimento, Eurico contou que foi contrato depois de publicar um anúncio oferecendo serviços de formatação de computadores e também de detetive. Como não sabia um jeito de rastrear a vítima em tempo real, pediu em um grupo de hackers e recebeu ajuda e outro Estado.

De acordo com a polícia de Santa Catarina, após receberem informações da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Eurico foi localizado por policiais da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais), da DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Joinville e da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil. Ele tentou fugir do local onde estava escondido, mas foi pego.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário