ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Reinaldo e governadores pedem apoio à ONU para mais vacinas

Apelo é em forma de ajuda humanitária, considerando o Brasil, epicentro atual da covid no mundo

Por Lucia Morel | 17/04/2021 10:18
Vacinas chegando a Mato Grosso do Sul no Aeroporto Internacional de Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)
Vacinas chegando a Mato Grosso do Sul no Aeroporto Internacional de Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)

Mato Grosso do Sul junto aos demais estados da federação solicitaram à Onu (Organização das Nações Unidas) e à OMS (Organização Mundial da Saúde) em cunho de “ajuda humanitária” auxílio para conseguirem mais doses de vacinas contra a covid-19. Um dos riscos assinalado é faltar imunizante suficiente para aplicação da segunda dose da Coronavac.

Entre as solicitações, está o apoio das instituições internacionais para destravar o repasse de doses previstas no acordo do mecanismo Covax Facility, consórcio coordenado pela OMS, da qual o Brasil faz parte.

Segundo o coordenador do Fórum, o governador do Piauí, Wellington Dias, o Brasil teria direito a 9,1 milhões de doses oriundas do mecanismo, mas só recebeu 1 milhão até agora.

“Haverá esforço para que uma entrega que estava prevista para maio possa ser antecipada para até o fim de abril, de 4 milhões de doses. Vamos tratar com Coreia, Índia e China, que estão neste esforço de produção [dos imunizantes]. Até o mês de maio completa essa entrega e maio-junho tem perspectiva de regularização”, declarou Dias em entrevista coletiva após a reunião.

Se o acordo der certo, Brasil receberá 5 milhões de doses ainda em abril e mais 3,1 milhões em maio próximo, advindos da Coréia, Espanha, Itália ou de qualquer outro país produtor.

Os governadores pedem ainda, “a fim de evitar a interrupção do processo de vacinação com a primeira dose da Coronavac”, que “sejam envidados esforços para a mediação de negociações entre o Brasil e a China, com o propósito de que seja antecipada a entrega suplementar de IFA, ainda neste mês de abril, em quantidade suficiente para a produção de 10 milhões de doses, iniciativa que evitaria a falta de vacinas para aplicação da segunda dose".

A IFA é o Ingrediente Farmacêutico Ativo que é enviado dos países fabricantes para os países produtores – como o Brasil – para que a vacina seja feita. Segundo os chefes dos executivos estaduais, houve envio de IFA em quantidade inferior à prevista no mês de abril, o que pode comprometer o planejamento de vacinação.

Se a entrega do ingrediente se cumprir, será assegurada a entrega das 2 milhões de doses que estavam previstas para o mês de março, 4 milhões para abril e 5 milhões de doses para maio.

Também pedem mediação à Onu e à OMS junto aos Estados Unidos, já que lá há estoque não destinado à utilização imediata. A ideia é que o país disponibilize vacinas para compra ou empréstimo, “condicionado a posterior devolução da quantidade correspondente”.

Por fim, é ainda solicitado auxílio para assegurar a capacidade de atendimento dos hospitais da rede de saúde nacional, “com assistência para a obtenção de insumos hospitalares, a exemplo de oxigênio e medicamentos que compõem do chamado “kit intubação””.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário