A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Agosto de 2019

05/08/2019 13:59

Superior ao índice dos EUA, taxa de presos em MS cresceu 20% em 2 anos

População carcerária de Mato Grosso do Sul hoje é de 696 presos a cada 100 mil habitantes

Fernanda Palheta
Secretário de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, à esquerda, aponta que 40% dos 19 mil presos de MS respondem por crime de tráfico de drogas (Foto: Fernanda Palheta)Secretário de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, à esquerda, aponta que 40% dos 19 mil presos de MS respondem por crime de tráfico de drogas (Foto: Fernanda Palheta)

Com 696 presos a cada 100 mil habitantes, o encarceramento em Mato Grosso do Sul é maior que o índice de 655 presos por 100 mil habitantes dos Estados Unidos, país campeão de encarceramento do mundo. A taxa de aprisionamento do Estado também está acima da média nacional, de 333 presos por 100 mil pessoas.

O número foi divulgado pelo secretário de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira na manhã desta segunda-feira (5), durante entrega de equipamentos para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro.

Segundo o titular da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), número foi fechada na última terça-feira (30), antes de o secretário adjunto viajar para Brasília para discutir o sistema prisional com equipes do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e pedir apoio para Mato Grosso Sul.

Conforme dados gerais da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), em dois anos, a população carcerária de Mato Grosso do Sul cresceu 20%, passando de 15.063 pessoas presas em junho de 2017 para 19.063 presos em junho de 2019.

Para o secretário de Justiça e Segurança Pública o aumento da população carcerária está ligado a característica geográfica do Estado. “Mato Grosso do Sul é corredor do tráfico de drogas e de outros crimes derivados deles, o que gera um impacto muito grande”, aponta. De acordo com Videira, nos primeiros sete meses deste ano foram apreendidos 200 toneladas de droga no Estado.

Outro fator que reflete no crescimento, segundo o secretário, é a e da atuação da polícia . “Temos uma polícia que desde o primeiro ano do governo reduz o número de pessoas presas em delegacias”, explica Videira. Segundo ele, houve uma redução de mais de 50% na taxa de pessoas presas em delegacias, que foram encaminhas para o sistema prisional.

Tráfico de drogas – O secretário de segurança ainda apontou crime de tráfico de drogas é o que mais tira a liberdade em Mato Grosso do Sul. Dos 19.063 presos no Estado, 7.625 foram presos devido ao tráfico de drogas. “Hoje, 40% da população carcerária sul-mato-grossense está ligada ao tráfico de drogas”, disse.

Videira ainda destacou o impacto desses presos aos cofres públicos estaduais. “Nós gastamos hoje, no mato grosso do sul, só com os presos do tráfico gastamos R$ 11 milhões por mês, o que significa R$ 133 milhões por ano”, completa.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions