ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  21    CAMPO GRANDE 18º

Cidades

“Tem de levantar a cabeça”, descreve Alexandre após 68 dias preso por erro

Servente de pedreiro, preso no dia 27 de maio, no Pernambuco, por ordem da Justiça de Mato Grosso do Sul, foi libertado hoje

Por Anahi Zurutuza | 03/08/2020 20:26
Alexandre Dias Bandeira ao lado da esposa, Lucilene, na volta para casa (Foto: Laércio Portela/Marco Zero)
Alexandre Dias Bandeira ao lado da esposa, Lucilene, na volta para casa (Foto: Laércio Portela/Marco Zero)

O alívio deu para ser percebido na voz. Ao atender a reportagem e responder o “oi, tudo bem?” de praxe para iniciar um diálogo, Alexandre Dias Bandeira, 53, não se acanhou: “agora muito melhor, em casa”.

O servente de pedreiro virou personagem do Campo Grande News, depois que a agência de notícias Marco Zero, do Pernambuco, contou a odisseia do homem que foi preso no estado do nordeste por erro do Judiciário de Mato Grosso do Sul. Foram 68 dias em cela do Cotel (Centro de Observação e Triagem Everardo Luna), até que nesta segunda-feira (3), depois de habeas corpus pedido por advogado sul-mato-grossense, a ordem de soltura foi cumprida.

Alexandre chegou em casa no início da noite de hoje. “Sensação de liberdade. Estar em casa novamente com a minha família, ter saído daquele lugar terrível, que acho que ninguém merece não”, foi a segunda frase que conseguiu dizer.

Ele não nega a mágoa e afirma que da prisão, só conseguiu tirar uma lição: “a justiça brasileira é muito falha”. “O que trago de lá é isso. Coisas boas a gente não traz não. E tem muita gente presa injustiçadamente (sic). Fui marginalizado, jogado naquele lugar e a culpa que eu tive é de ter sido roubado”, faz questão de deixar registrado.

Mas, daqui para a frente, Alexandre quer retomar as rédeas da própria vida, analisar sua situação jurídica para “limpar o nome” e voltar ao trabalho. Ele faz planos de conseguir o antigo emprego de volta. “A gente tem de levantar a cabeça. Vou tentar voltar lá, espero que me aceitem novamente, até porque, pela minha idade, fica difícil arrumar trabalho”.

Por hora, nesta noite, nem quis encompridar a conversa. Era hora de curtir a família e se deliciar com o arroz, feijão e galinha assada, cardápio prometido pela esposa Lucilene Silva Bandeira, 54 anos, para a volta do marido a Sítio Novo, bairro de Olinda (PE), onde moram. “Coisa boa. Estava com saudade, visse, do temperinho de casa”

Do lado esquerdo, documento de Alexandre, preso no dia 27 de maio e ao lado, RG que estava com homem preso em 2001 (Foto: Marco Zero)
Do lado esquerdo, documento de Alexandre, preso no dia 27 de maio e ao lado, RG que estava com homem preso em 2001 (Foto: Marco Zero)

O caso – Alexandre foi preso no dia 27 de maio, no trabalho. A Polícia Civil do Pernambuco cumpriu ordem de captura expedido pela Justiça de Mato Grosso do Sul.

A história da prisão foi contada pelo Campo Grande News na última quinta-feira, dia 30. No dia seguinte, o advogado Halysson Rodrigo, de Campo Grande, que se solidarizou com a busca por justiça da família, entrou com pedido de habeas corpus no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

O servente foi preso no lugar de homem flagrado com drogas em 23 de maio de 2001. À época, o traficante que apresentou documentos com o nome de Alexandre Dias Bandeira e fugiu cinco meses depois.

A ordem de soltura foi expedida no dia 1º. Na decisão, a desembargadora Elizabete Anache esclareceu que a consulta ao processo na comarca de Bataguassu, fonte do mandado de prisão em aberto, mostrou que a pena foi extinta há dois anos.