ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  03    CAMPO GRANDE 30º

Cidades

Três casos de hepatite infantil seguem sob suspeita em Ponta Porã e na Capital

Secretário de Estado de Saúde, Flávio Brito, disse que doença “misteriosa” continua em investigação

Por Caroline Maldonado e Cleber Gellio | 24/05/2022 11:37
Secretário de Estado de Saúde, Flávio Brito, na Governadoria. (Foto: Marcos Maluf)
Secretário de Estado de Saúde, Flávio Brito, na Governadoria. (Foto: Marcos Maluf)

Não há casos confirmados de hepatite infantil em Mato Grosso do Sul, nem novos casos suspeitos. A SES (Secretaria de Estado de Saúde) continua aguardando exames para saber se três casos são da doença.

A SES informou hoje (24) que dois pacientes de 14 anos e 10 anos com sintomas suspeitos são de Campo Grande e um adolescente de 16 anos é de Ponta Porã, a 313 quilômetros da Capital.

O secretário de Estado de Saúde, Flávio Brito, falou sobre o assunto hoje, durante evento que discute combate à doenças zika, dengue e chikungunya, na Governadoria.

“Não tem caso confirmado de hepatite infantil. Estamos acompanhando de perto essa situação”, disse. Os casos suspeitos surgiram há mais de uma semana e são monitorados também pelo Ministério da Saúde. São 15 casos sob suspeita no Brasil.

No sábado (21), a Agência Brasil noticiou que o adenovírus é a principal hipótese para hepatite grave em crianças e adolescentes, até então. Seis crianças já morreram com a doença nos Estados Unidos. No País, 180 casos são investigados, conforme o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças). O centro investiga se a nova doença tem relação com a pandemia de covid-19.

A assessoria da SES informou que os exames são feitos por laboratório referência e não há prazo para envio dos resultados.

Nos siga no Google Notícias