ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  27    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

Vacinas da Janssen estão na Capital e distribuição aos municípios ocorre até 18h

Chegaram 200,2 mil doses ao Estado, que precisa de pelo menos 237 mil vacinas desta patente

Por Guilherme Correia e Cleber Gellio | 08/12/2021 12:12
Motoristas esperam liberação para retornar aos municípios com as vacinas da Janssen. (Foto: Marcos Maluf)
Motoristas esperam liberação para retornar aos municípios com as vacinas da Janssen. (Foto: Marcos Maluf)

Mais de 237 mil sul-mato-grossenses aguardam a distribuição de vacinas da Janssen, isto porque quem tomou a dose desta vacina, tem direito a receber um reforço, passados dois meses da primeira aplicação, para ampliar a imunização.

De acordo com o PNI (Plano Nacional de Imunização), as vacinas têm de ser adquiridas pela União e distribuídas aos estados e municípios. O lote, com 200,2 mil fármacos, chegou por volta das 9h no Aeroporto Internacional de Campo Grande e será distribuído às 13h30.

Conforme apurado pela reportagem, a previsão é de que chegue a todas as cidades do interior por volta das 18h. Elas estão no prédio do Cievs (Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde), onde a logística está sendo feita.

Ainda que tenham sido utilizadas, inicialmente, nas 13 cidades fronteiriças, por conta de estudo imunológico conduzido pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), na faixa de fronteira com o Paraguai e Bolívia, elas passaram também a serem incluídas em cronograma vacinal no restante do Estado.

O Ministério da Saúde estipulou que 176,6 mil serão entregues para 48 municípios, incluindo os 13 de fronteira, enquanto 1,1 mil serão destinados à população em situação de rua e 22,4 mil para adultos.

No entanto, é possível que nova definição de distribuição seja feita pelo ente estadual. Mais cedo, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) de Campo Grande informou que aguarda definição do quantitativo para estabelecer cronograma dos próximos dias.

Os motoristas das prefeituras de cada município aguardavam na fila com as respectivas caixas térmicas para armazenamento. O primeiro da fila era de de Porto Murtinho, a 439 quilômetros de Campo Grande.

O motorista de Selvíria, cidade a 400 quilômetros da Capital, Nilton Cezar Trindade, saiu por volta das 2h, com dois pacientes, entre eles, uma criança de 10 anos que veio fazer ressonância na Cassems e um adulto que faz hemodiálise na Santa Casa de Campo Grande.

Ele aguarda a liberação para retornar ao município de origem com as vacinas, já que os pacientes já foram atendidos. “Já que as vacinas estavam aqui, poderiam abrir uma exceção”, comenta.

O motorista João Paulo, de 42 anos, veio de Ladário, a 426 quilômetros de Campo Grande, em viagem que durou cerca de cinco horas. Ele também aguarda a liberação para levar os imunizantes à população local.

Uma das caixas, de Bataguassu, que transportará imunizantes. (Foto: Marcos Maluf)
Uma das caixas, de Bataguassu, que transportará imunizantes. (Foto: Marcos Maluf)

VACINAÇÃO - Mais de 71,5% da população do Estado completou o primeiro ciclo vacinal. No entanto, a taxa de quem recebeu dose de reforço beira os 15%. Vale ressaltar que ao menos 237 mil pessoas aguardam a disponibilização das doses de Janssen, para o reforço, que pode ser aplicado, passados dois meses da primeira vacina.

A dose adicional, no entanto, está restrita a adultos que tomaram a última dose há, pelo menos, quatro meses.

  • Quem tomou duas doses de Coronavac, Pfizer e Astrazeneca pode procurar uma terceira dose a partir de quatro meses da última aplicação.
  • Já quem recebeu dose única de Pfizer pode procurar uma segunda dose a partir da primeira aplicação, e uma dose adicional, passados outros quatro meses após a segunda.
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário