ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 12º

Cidades

"Vaquinha" é encerrada e sul-mato-grossense assassinado é sepultado em SC

José Antônio Rabelo, 39 anos, foi morto a tiros horas depois de se mudar para cidade de Santa Catarina

Por Silvia Frias | 17/03/2021 10:47
José Moura havia se mudado para Florianópolis no dia 11 e morreu horas depois (Foto/Reprodução/Facebook)
José Moura havia se mudado para Florianópolis no dia 11 e morreu horas depois (Foto/Reprodução/Facebook)

A família de José Antônio Rabelo de Moura Brasil encerrou a arrecadação virtual aberta para fazer o translado do corpo dele de Santa Catarina para Mato Grosso do Sul. Com o que foi angariado, pouco mais de R$ 1,5 mil, o corpo foi sepultado em Coqueiros (SC).

Jose Moura, de 39 anos, foi assassinado a tiros no dia 11 de março, pouco mais de 15 horas depois de se mudar para Florianópolis (SC), onde pretendia recomeçar a vida. O carro em que ele estava foi atingido por 4 tiros e um dos disparos foi no coração da vítima.

A mãe, Marlene Rabelo, foi a Canasvieira, um bairro e uma praia localizados no norte de Floripa, para saber mais detalhes da investigação e tentar fazer o translado do corpo.

A família chegou a abrir a "vakinha virtual", com meta de angariar R$ 20 mil, mas, até ontem, foram arrecadados somente R$ 1.525,00. Com o dinheiro, eles conseguiram fazer sepultamento em Coqueiros, distante cerca de 30 quilômetros da cidade onde aconteceu o crime.

José Moura na praia, horas antes de morrer (Foto/Reprodução)
José Moura na praia, horas antes de morrer (Foto/Reprodução)

“O que mais me interessava era dar sepultamento para meu filho”, disse Marlene, em entrevista hoje ao Campo Grande News.

À tarde, ela deve ir à Polícia Civil para se atualizar das investigações e buscar os pertences do filho. O carro usado por José Moura também está na delegacia para ser periciado.

Marlene acredita que o filho tenha sido assassinado por engano ou alguma outra situação aleatória. “Acho que o GPS levou ele no lugar errado, ele não conhecia o lugar, não conhecia praticamente ninguém aqui. Não tem explicação”, disse.

José Antônio é de Camapuã, mas foi criado em Campo Grande. Filho do radialista Moura Brasil, conhecido na Capital, ele morava há 4 anos em Olímpia, no interior de São Paulo, quando decidiu mudar de vida e tentar um novo começo em Santa Catarina.

Há pouco tempo, havia falado para mãe do desejo de se mudar para Florianópolis, depois que conheceu interior em viagem a trabalho. Se mudou para Canasvieiras na manhã do dia 11 de março. No Facebook, chegou a publicar um vídeo, na praia, comemorando a nova vida.

Na cidade, estava sendo auxiliado por casal de amigos. Eles haviam alugado uma kitnet e, momentos antes do assassinato, saiu da casa para buscar colchão emprestado.

No boletim de ocorrência, consta que a amiga ouviu pessoas gritando que alguém havia sido baleado. Ao sair, identificou José caído, gemendo de dor.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário