A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Junho de 2018

30/04/2008 11:01

Acusado diz que vendia droga e tinha celular no presídio

Redação

Julgado nesta quarta-feira por envolvimento no assassinato de Willian Maksoud, em abril de 2006, Edmilson dos Santos Pires, 41 anos, disse que vendia drogas no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande e que tinha celular.

As afirmações foram feitas durante o julgamento, onde disse também que a morte do advogado não tem relação com o PCC e que foi encomendada por ele, pois havia ficado sabendo que o criminalista tinha mandado mata-lo.

Declarou que ganhava de R$ 4 a R$ 5 mil por mês com o tráfico e que tinha contato com conhecidos que não estavam presos através do celular. Meio pelo qual planejou, junto com Edson Ferreira, o Rato, a execução.

Diante da afirmação que vendia drogas, mas não era do PCC, o MPE (Ministério Público Estadual), questionou como podia lucrar com o tráfico. Ele respondeu que a venda

IFMS divulga resultado da seleção de jovens e adultos para os cursos técnicos
O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) publicou nesta sexta-feira, 22, o resultado preliminar do processo seletivo para ingresso em cursos ...
SUS incorpora novos tratamentos para doenças raras
A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias aprovou novas opções de cuidado para quem sofre de doenças raras no Brasil. Os tratamentos, de aco...
Mega-Sena de amanhã pode pagar R$ 38 milhões após 6 sorteios sem premiados
O sorteio da Mega-Sena de amanha (23) pode premiar um ou mais acertadores com até 38 milhões. No último sorteio, quarta-feira (20) o prêmio acumulou ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions