A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

04/09/2010 10:11

Advogado de Artuzi entra com habeas corpus quarta-feira

Redação

A defesa do prefeito afastado Ari Artuzi deve ingressar na próxima quarta-feira com pedido de habeas corpus no STJ (Superior Tribunal de Justiça), segundo informou há pouco o advogado Carlos Marques.

Até agora, o pedido não foi protocolado porque os advogados de Artuzi não conseguiram ter acesso ao inquérito.

"A meu ver, ele não tem elementos para estar preso, é mais um crime midiático. Se ele realmente cometeu crime, ele vai ser punido, mas daí banir o individuo da sociedade, é outra coisa. Ele tem direitos, tem um mandato popular e isso não pode ser tirado de você só porque alguém acha que você cometeu um crime", disparou.

Artuzi foi preso pela Polícia Federal depois de ser filmado recebendo dinheiro supostamente relacionado a propina de empreiteiras, que destinavam ao então prefeito 10% do valor do contrato.

Vereadores também foram flagrados recebendo repasses de Eleandro Passaia, então secretário de governo que denunciou o esquema à Polícia Federal.

Segundo seu advogado, Artuzi ficou "chocado e abatido" ao receber a notícia de que permaneceria preso. Inicialmente, ele foi mantido na cela por força de uma prisão temporária, de 5 dias. Agora, com a prisão preventiva já decretada, não há previsão de soltura.

De acordo com Carlos Marques, Artuzi pergunta muito sobre os filhos e a esposa, Maria Aparecida Freitas Artuzi, também presa por envolvimento no escândalo da propina.

O advogado não só pretende ingressar com o habeas corpus mas entrará também com um agravo regimental contra a decisão que tirou Artuzi do comando da prefeitura.

Até ontem de manhã, Artuzi ainda estava despachando de dentro da cela do 3º DP, no Carandá Bosque, em Campo Grande. Contudo, por decisão do desembargador João Carlos Brandes Garcia, do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), ele foi afastado.

Hoje de manhã toma posse o juiz Eduardo Machado Rocha, por absoluta ausência de agentes políticos capazes de assumir o controle da cidade. Isso porque o vice-prefeito, Carlinhos Cantor (PR), o presidente da Câmara, Sidlei Alves (DEM) e o vice, Zezinho da Farmácia (PSDB), também são acusados de receber propina.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions