ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEXTA  20    CAMPO GRANDE 12º

Cidades

Após dois meses preso, cunhado de Marielly já está fora da cadeia

Por Nadyenka Castro e Viviane Oliveira | 20/09/2011 16:10

Hugleice da Silva foi solto por determinação do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, cujos desembargadores da 1ª Turma Criminal, por unanimidade, concederam habeas corpus

Mais magro e com o cabelo raspado, Hugleice deixa o Instituto Penal de Campo Grande. (Fotos: João Garrigó)
Mais magro e com o cabelo raspado, Hugleice deixa o Instituto Penal de Campo Grande. (Fotos: João Garrigó)
Hugleice disse que vai voltar à vida normal e não respondeu sobre o casamento com a irmã de Marielly.
Hugleice disse que vai voltar à vida normal e não respondeu sobre o casamento com a irmã de Marielly.

Já está em liberdade Hugleice da Silva, 27 anos, cunhado de Marielly Rodrigues. Foi ele quem a levou para fazer o aborto que resultou na morte dela, em maio deste ano, em Sidrolândia.

Mais magro e com o cabelo raspado, Hugleice deixou o Instituto Penal de Campo Grande por volta das 15h30min acompanhado do advogado, José Roberto Rodrigues da Rosa, e da mãe.

Ele declarou que agora pretende “retomar a vida normal” e preparar a defesa. Sobre se havia retomado o casamento com a irmã de Marielly, respondeu que não queria falar sobre o assunto.

O rapaz teve a liberdade concedida nessa segunda-feira pelo TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), mas, o alvará de soltura só foi expedido nesta terça-feira.

Ele estava na cadeia desde 14 de julho deste ano. Até essa data negava qualquer envolvimento na morte da cunhada, mas, após a primeira noite ‘no xadrez’, passou a fazer as confissões.

Hugleice confessou que teve relações sexuais com Marielly, mas que não tinha certeza se o filho que ela esperava era dele, que a levou, de Campo Grande, para fazer o aborto em Sidrolândia e que ajudou a esconder o corpo.

Na versão de Hugleice à Polícia, ele soube do enfermeiro Jodimar Ximenes Gomes, que está preso, por um colega de trabalho, entrou em contato e combinou R$ 1 mil pelo pagamento.

No dia combinado com Jodimar - 21 de maio-, Hugleice levou Marielly até a casa dele. Enquanto esperava na calçada, o enfermeiro o avisou que o aborto havia dado errado e que a jovem havia morrido.

Os dois então colocaram o corpo na caminhonete de Hugleice e o esconderam em um canavial. O cadáver foi encontrado no dia 11 de maio.

Jodimar nega qualquer envolvimento com o caso. Ele está preso em Sidrolândia e já teve o habeas corpus em caráter liminar negado.

Diante das revelações de Hugleice, a família de Marielly declarou que o casamento dele com a irmã da vítima estava terminado.

Nos siga no Google Notícias