A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

05/09/2013 08:42

Após invasão, uso de drogas por alunos na reitoria causa polêmica

Vinícius Squinelo e Edivaldo Bitencourt
Fotos mostram acadêmicos fazendo uso de entorpecentesFotos mostram acadêmicos fazendo uso de entorpecentes

Flagrados supostamente usando drogas, acadêmicos que ocupam a reitoria da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) se recusaram a falar sobre o tema. As imagens de um estudante de 17 anos fumando maconha na instituição circulou no Facebook e causaram polêmica na rede social.

Após receber as imagens, a reportagem esteve na reitoria da UFMS, porém os universitários se limitam a dizer que só vão se pronunciar através de “notas oficiais no Facebook”. Perguntados sobre o uso de entorpecentes, os estudantes desconversam.

A reportagem apurou que o acadêmico flagrado supostamente fumando maconha seria menor de idade, 17 anos.
No Facebook, a publicação das imagens causou polêmica. “Fico indignado com esses maconheiros!!! Cadê os pais e as mães desses %%***”, disparou Leonardo Fava.

“Ocuparam a reitoria pra ficar fumando maconha. Bela causa! Cadê a PF?”, questionou Tato Mansano, um dos usuários que postou a foto.

Funcionários da UFMS também fizeram fotos e ligaram para o Campo Grande News indignados com o suposto consumo de drogas na reitoria da instituição. Como é uma instituição federal, somente a Polícia Federal pode atuar na área da reitoria da UFMS.

Posição – Questionada sobre o uso de entorpecentes, a atual gestão do DCE (Diretório Central dos Estudantes) da UFMS avisou que vai analisar as denúncias e emitir uma nota oficial em breve.

A reitoria da universidade foi ocupada na sexta-feira (30), e o DCE da instituição também foi ocupado nesta segunda-feira (2), quando os manifestantes teriam depredado o local.

Sem partido - Apesar de prometer dar a resposta por meio da página Ocupa UFMS no Facebook, o movimento não se manifestou sobre a utilização de drogas. Em nota, postada ontem, eles negam o caráter partidário do movimento. "O movimento OCUPA UFMS é formado por vários estudantes de diferentes coletivos, movimentos políticos e também independentes. Mas, acima de tudo, somos todos alunos da UFMS que se representam como acadêmicos nos protestos por seus direitos. O protagonismo é só das pautas. É estando presente na assembléia que podemos evitar que qualquer coisa aconteça", destacam.

Eles também criticaram os meios de comunicação, que divulgaram a pichação e depredação de espaços públicos da universidade. "Alguns jornais têm divulgado vários artigos de opinião contrária ao movimento, com acusações de vandalismo e “quebra-quebra”. O movimento OCUPA UFMS nega estas acusações e está disposto a prestar esclarecimentos. Já escrevemos muitas notas explicando todos os ocorridos e estamos aqui para dialogar quantas vezes forem necessárias", ressaltam.

No entanto, desde o início da ocupação, os invasores da reitoria se recusam a falar com a imprensa. O Campo Grande News procurou os manifestantes desde a tarde de sexta-feira e a resposta é sempre a mesma, só vão se manifestar por meio de nota no Facebook. 



Gostaria de parabenizar Jorge Luiz por seu comentário. Erros e acertos daqueles que reivindicam à parte, ninguém deve ser previamente julgado, principalmente com tamanha má vontade em discutir a real situação da mobilização desses jovens. Esses hipócritas de plantão - "paladinos da moralidade" na arte de emitir comentários reacionários são os mesmos que defendem o 'rouba, mas faz', o 'não é comigo, então dane-se', e por aí vai.
 
Carlos Eduardo em 06/09/2013 11:06:08
Interessante, todo mundo que comentou aqui tá bem de vida né? todos formados e ganhando milhões... alguns até trabalhando pra acabar com a fome da África né?
Não... na verdade são todos hipócritas que não tem nada melhor pra fazer também além de criticar pela internet pessoas que independente da atitude de um indivíduo estão ali pra acabar com a roubalheira que acontecida na UFMS... mesmo pq senhores se fosse pra apenas fumar maconha eles poderiam fazer isso fora da faculdade em qualquer lugar... mas não eles estão lá no final de semana... diferente de conformados que apenas tem voz publica na internet onde é fácil criticar... Vejo que tem senhores e senhoras de idade que postaram aqui... e gostaria de dizer que é contra a situação do Brasil que herdamos dos Senhores que lutamos.
 
Jorge Luiz em 06/09/2013 00:52:51
Hahaha... nota oficial no Facebook... Muitoooo maduro!
 
Alana Duarte em 05/09/2013 18:02:29
Na linguagem militar seria: "moral de cuecas", ou seja, querem reivindicar o certo, mas não tem moral para isso.
 
Ronaldo Pissurno em 05/09/2013 15:26:08
Olha o nível desses acadêmicos, fiquei sabendo q ate manifestação no bar ESCOBAR fizeram em virtude do LITRÃO passar a ser cobrado R$7,00, vão estudar seus baderneiros
tem gente que daria tudo pra estar no lugar desses maconheiros!!!!!!!!!!
 
cris. alves em 05/09/2013 15:04:09
Em todos esses anos de guarda em escola, jamais eu e meus colegas toleramos esse tipo de coisa! Isso deve ser combatido até as ultimas consequências, com vigor! Só assim podemos neutralizar essas ações! Eles fazem isso pq não tem medo, então q se coloque o medo! Pelo menos os prédios exclusivos para a construção do bom profissional deve ser respeitada!
 
Lú de Oliveira em 05/09/2013 15:01:18
Compram drogas por que não pagam a Universidade, ai sobra dinheiro
 
Alex andré de souza em 05/09/2013 13:53:42
Olha sou até a favor do uso da legalização das drogas, desde que ela seja bem tributada (e isso, o tributo, seja revertido de forma correta) e que não possa interferir e prejudicar o bem comum. Também sou a favor do protesto livre, desde que de forma pacífica, ordeira, e sobretudo, os reais objetivos atendam a TODOS. E o que estes FILHINHOS DE PAPAI (eu passo todo dia em frente a reitoria da UFMS de ônibus e não vi até agora nenhum estudante da periferia no protesto) estão fazendo arruaça e denegrindo a imagem do verdadeiro universitário, que rala, ajuda e dá orgulho à familia. Seria tão bom que a P.F. chegasse lá e botasse estes MARGINAIS para correr!
Obs: estes mesmos que protestam hoje vão ter nojo de atender a população no futuro, como alguns médicos brasileiros.
 
Felipe Santos em 05/09/2013 13:30:43
Quem disse que o jovem de 17 anos não é o melhor aluno da sala?? quem disse que a vida dele é so farra, festa, ou DROGAS??? ninguém conhece ele, só estão julgando pela foto.. coisa comum entre brasileiros.. ACABEM COM O PRECONCEITO, procurem se informar antes de criticar!
 
Felipe Lara em 05/09/2013 12:58:44
Fui acadêmico da universidade, e infelizmente, sempre ela foi tomada por drogas e álcool. Quem tiver qualquer dúvida, basta fazer uma visita nos centros acadêmicos de cada curso. Lamentável.
 
Neu Rogério da Silva em 05/09/2013 11:13:06
Que ótimo, pois assim desconstroem a imagem já corroída!
 
Adriano Magalhães em 05/09/2013 11:05:54
Polícia neles!
 
RODRIGO FERREIRA em 05/09/2013 10:45:47
É triste perceber a imensa inversão de valores que estamos enfrentando, hoje é "certo é ser errado".
E esse é o futuro do Brasil?
 
Magda Correa em 05/09/2013 10:39:23
Desde os meus tempos de adolecência, era oferecida maconha na antiga UFMT, hoje UFMS. Hoje tenho 56 anos e posso dizer que nunca aceitei essa porcaria e/ou nenhuma outra droga. Tenho dois filhos grandes que, graças a Deus, seguiram o meu exemplo e uma pequena de apenas sete anos que ainda não sabe o que significam essas porcarias de drogas. Mas ela saberá e, se Deus quiser, também vai seguir o meu exemplo. O uso de entorpecentes se dá por falta de vergonmha na cara das pessoas. A desculpa de que é por falta de orientação ou ausência dos pais dos pais ou qualquer outro motivo é conversa para boi dormir. E olha que até um dos meus "melhores" amigos me ofereceu maconha certa vez e recusei. Estudantes: Se vocês querem fumar, vão faze-lo em casa. Se não querem estudar, outros querem
 
Osmar Felinto em 05/09/2013 10:38:57
Não seria isso uma manobra da reitora para desviar a atenção da sociedade civil da palhaçada que ocorre na reitoria? E pergunto a esse "Tato Mansano" que é funcionário da UFMS, cadê a PF mesmo, para ver a roubalheira que ocorre na ufms. Os que estão na UFMS não estão anarquizando, apesar desse incidente que não deveria ocorrer, e sim lutando por uma universidade melhor.
 
Emerson Silva em 05/09/2013 10:11:57
Simples de resolver essa palhaçada. Expulsem esses alunos. O problema é que hoje em dia pode tudo, e eles são intocáveis. Coloquem no lugar pessoas que realmente querem estudar e honrem o dinheiro de impostos que é investido neles. Pessoas que podem se dar ao luxo de acampar ali, ficar o dia todo sem fazer nada com certeza não trabalham, não precisam dar satisfação a chefe, não precisam sustentar uma casa, e pelo visto também não precisam estudar. E família, pai, mãe, com certeza eles não têm, porque se tivessem, teriam sido bem educados, e os pais já teriam ido lá tirar os filhos dessa situação patética.
 
Rafael Santos em 05/09/2013 10:00:49
REIVINDICANDO SEUS DIREITOS, TO SABENDO!! E ESSE MENOR DE IDADE CADE OS PAIS???
VÃO EM FRENTE VCS TERÃO UM FUTURO BRILHANTE, FAZENDO FACULDADE PRA SE TORNAR UM PROFISSIONAL, OU É UMA UMA DESCULPA PRA SE DROGAR E FAZER BADERNA!!!!!!!!!!!!!!!
 
cristina gomes em 05/09/2013 09:39:10
Daqui a pouco estão todos no Escobar (bar próximo a UFMS) enchendo a cara!
 
Thiago Fernandes em 05/09/2013 09:32:35
São os defensores da anarquia, não sabem o que querem, apenas sabem que o que não querem. ESTUDAR. Esses pseudos acadêmicos é o retratado da degradação da juventude que abusam do uso das drogas e usam a universidade publica para passar anos e anos sem fazer nada e certeza em nada contribuirão para o desenvolvimento de uma pais melhor. São rebeldes sem causa e que são motivados por influencia politica de alguns professores comunistas que insistem em destruir o ensino publico no Brasil.
 
Nelson Silva em 05/09/2013 09:09:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions