A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

09/05/2011 17:54

Assaltante diz que nunca acusou juiz e reforça denúncia contra agentes

Marta Ferreira
Girotti está preso por assalto a bancos e diz que nunca acusou juiz. (Foto: A Gazeta de Limeira)Girotti está preso por assalto a bancos e diz que nunca acusou juiz. (Foto: A Gazeta de Limeira)

Acusado de ser um grande ladrão de bancos, José Reinaldo Girotti, o Alemão, desmentiu, por meio de seu advogado, Luiz Gustavo Battaglin, as afirmações feitas por agentes penitenciários federais de que teria acusado o juiz Odilon de Oliveira de cobrar propina para colaborar com a extradição de Juan Carlos Abadía.

O advogado esclareceu que Girotti desmentiu essa acusação na Justiça, em duas ocasiões, após ser interpelado judicialmente pelo magistrado Odilon.

Em duas ocasisões, na resposta por escrito e durante depoimento em Presidente Wenceslau (SP), onde está preso, Girotti negou que tenha feito qualquer acusação ao magistrado. A resposta dele foi não para 8 perguntas sobre isso.

Na direção oposta, denunciou ter sido torturado por um grupo de “3 a 4 agentes”, que, segundo testemunhou, o tiraram da cela, serviram a ele um lanche e um refrigente que, conforme o assaltante, com certeza tinha algum medicamento para dopá-lo.

“Tenho certeza que fui dopado”, afirma Girotti no depoimento. Ele diz que ficou 3 dias desacordados e que só soube disso por uma enfermeira.

Nesse intervalo, Alemão conta que teria sido forçado a escrever coisas em um papel, mas não se recorda o que, em razão do “estado de torpor”.

Indagado sobre quem seriam os agentes, o assaltante diz que não sabia nomes nem características físicas.

O advogado de Girotti disse que seu cliente faz questão de que seu nome não seja mais ligado a qualquer denúncia envolvendo o juiz, pois elas inexistem.

Ele disse ainda desconhecer que encaminhamento foi dado às denúncias feitas pelo cliente aos agentes penitenciários.



O Grande mal de alguns Magistrados Federais e Estaduais é gostarem em demasia de holofotes e câmeras.
É uma pena que até eles se emocionam com isso.
 
Gustavo Cesar em 10/05/2011 11:36:21
Quem tem boca fala o que quer!!!
O Presídio Federal tem câmeras de segurança que gravam imagens 24 horas por dia, desta forma seria muito fácil provar que ele foi retirado da cela e torturado, e também que ficou 3 dias desacordado.
Esse criminoso desmentiu a acusação contra o juiz porque seria processado e não reconheceu nenhum Agente pelo mesmo motivo, teria que provar suas afirmações.
A verdade é que tudo isso é ESTÓRIA para boi dormir, esse criminoso não merece nenhum crédito.
 
Natália Silva em 10/05/2011 11:15:07
Muito estranho o preso estar protegendo a honra do juiz. Se os fatos narrados pelo preso Giroti realmente aconteceram, deve haver registros, especialmente na enfermaria da unidade e no hospital em que foi atendido.
Devem existir imagens do "feito" produzidas por uma das 300 câmeras da unidade prisional; deve haver também registros do fato em Brasília que acompanha o monitoramento em tempo real; do mesmo modo em Campo Grande há monitoramento em tempo real; Três dias comportam três guarnições de serviço diferentes; Todos os dias, pela manhã durante a troca de serviço são feitas conferências do número e das condições físicas de cada preso; deve haver instauração de portarias devidamente publicadas ( para que não publiquem agora com data retroativa) para apurar o fato tanto no âmbito disciplinar quanto no criminal; o diretor, o chefe de segurança, o chefe de inteligência, e os chefes de plantões devem ter algum registro em seus relatórios diários, especialmente porque o preso teria ficado sem comida ( desacordado não come) por três dias. Além disso, deveria haver muito comentário entre os agentes a respeito do fato. O juiz corregedor deveria ter sido informado do fato. É assim que começam as grandes farsas patrocinadas pela "união" para incriminar pessoas sabidamente inocentes.
Essa aberrações só podem correr sob segredo de justiça. Coisa que não se pode provar, só com segredo de justiça para esconder. E a Operação Xis?
 
VALDEMIR RIBEIRO ALBUQUERQUE em 10/05/2011 11:09:57
Agora a verdade vai vir à tona.
O juiz federal Odilon de Oliveira fez um grande serviço à Justiça quando abriu o sigilo das investigações referente as acusações do preso Girotti de que ele (juiz federal) teria praticado extorção com a finalidade de não atrapalhar a deportação do preso Juan Carlos Abadia.
Desta forma a população vai poder julgar por sí só com base em documentação que for apresentada ao público pelos meios de comunicação e não o "disse me disse" como é comum quando autoridades de importância impõe suas ficções e sabem que serão divulgadas por consideração.
Se isso fosse feito com todos os processos e investigações - transparência - ao invés da decretação de segredo de justiça para acobertar interesses escusos (como no caso do falso "Ataque ao Presídio"), certamente diminuiriam as fraudes processuais, a manipulação das informações e as injustiças propriamente ditas. O "Caso do Presídio Federal", os crimes que ocorreram no interior da cadeia, os abusos, as improbidades praticadas por autoridades federais devem ser conhecidas e julgadas pela população sul-mato-grossense (e do restante do país) e não por alguns poucos interessados em esconder a realidade dos fatos e a verdade dos autos.
 
Paulo Magalhães - OAB/MS 10.7614 em 10/05/2011 10:47:44
É muito fácil voltar atrás sobre alguma declaração, se tal declaração é sobre o juiz que vai te julgar. Acusar agentes !! não dá nada, agora acusar o juiz !! dá mais alguns anos de cana.
 
jose antonio em 10/05/2011 10:44:01
Pobrezinho...não era pra acordar do lanchinho...
 
Fernando Andrighetti em 09/05/2011 10:43:36
Esse cara tá assistindo muito filme da CIA.
Dopar, escrever, não sabe, não viu...
Olhe que se isso pega...
 
Orlando Lero em 09/05/2011 06:23:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions