A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

12/08/2012 16:59

Associação defende lei federal para regular segurança em parques

Daniel Mello / Repórter da Agência Brasil

Uma lei federal que regulamente a operação de parques de diversão é o que defende a Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil (Adibra) para trazer mais segurança ao setor. “A partir do momento em que o poder constituído fizer isso, nós teremos uma segurança, mesmo nos parques menores, muito aumentada”, explica o presidente da entidade, Francisco Donatiello Neto.

Em parceria com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a Adibra elaborou as regras para o setor, em um documento lançado em 2011. “São aproximadamente 300 páginas, aceitas internacionalmente. Nós estamos trabalhando agora para que os governos municipais assumam essas normas para a abertura de parques.”

Mas o ideal, de acordo com ele, é que o padrão seja estabelecido nacionalmente. Assim, nenhum parque ficaria de fora da regulação. “Está faltando o Poder Público assumir as normas técnicas como lei”, defende.

Apesar de pedir que o setor seja regulamentado, Donatiello garante que as empresas brasileiras de parques trabalham de acordo com os padrões internacionais de qualidade. “Parques de diversões são lugares altamente seguros. Nós trabalhamos em perfeita sintonia com os fabricantes mundiais. Há alguns aparelhos com sistema de modem, que manda informações para os fabricantes."

Donatiello critica o relatório da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, no qual 1.641 pessoas ficaram feridas em acidentes nos playgrounds e parques de diversões durante o ano passado. Foram, em média, 4,49 internações por dia em todo estado. “Eles estão colocando na mesma estatística todo e qualquer acidente em playground, que é um equipamento da municipalidade. Essa estatística está longe de ser verdade no que se refere a parques de diversão”, reclama.

O médico supervisor do Grupo de Resgate e Atendimento a Urgência (Grau), Gustavo Feriani, chegou a relacionar o alto número de acidentes na região de Campinas (76%) aos grandes parques instalados nas proximidades do município.

Donatiello reconhece que o Poder Público enfrenta dificuldades para fiscalizar os parques. O problema poderia, segundo ele, ser resolvido com a adoção das normas técnicas elaboradas pela Adibra. As regras exigem, por exemplo, que os parques apresentem periodicamente um laudo assinado por engenheiros, referendando a instalação dos brinquedos.

Em Vinhedo, na região metropolitana de Campinas, a prefeitura informou que solicita aos parques o alvará de funcionamento e o alvará prévio do Corpo de Bombeiros. A cidade abriga um dos maiores parques da América Latina, o Hopi Hari, onde em fevereiro um acidente matou uma adolescente de 14 anos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions