A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

23/06/2012 20:56

Brasil condena impeachment de Lugo e convoca embaixador

Nicholas Vasconcelos

O Ministério das Relações exteriores condenou na noite deste sábado (23) o processo de impeachment do ex-presidente paraguaio Fernando Lugo e convocou o embaixador em Assunção, Eduardo dos Santos, para voltar para Brasília.

Em nota, o Itamaraty condena o que chamou de “rito sumário de destituição do presidente do Paraguai na sexta-feira (22)”. O Governo brasileiro afirma que não adotará medidas para prejudicar o povo paraguaio, mas afirma que a democracia foi conquistada com esforço na região e que deve ser defendida “sem hesitação”.

A nota diz ainda que as ações avaliadas com o Mercosul (Mercado Comum do Sul) e da Unasul (União das Nações Sul-Americanas).

Federico Franco assumiu o poder nesta sexta-feira (22) após a aprovação por 39 votos a 4 do impeachment de Fernando Lugo.

O processo de destituição do presidente teve inicio da quinta-feira (21) com a aprovação do pedido da Câmara dos Deputados sob a acusão de “mau desempenho de suas funções”. O motivo alegado pelos deputados foram as 17 mortes no conflito agrário de Curuguaty, na semana passada.

Confira nota

O Governo brasileiro condena o rito sumário de destituição do mandatário do Paraguai, decidido em 22 de junho último, em que não foi adequadamente assegurado o amplo direito de defesa. O Brasil considera que o procedimento adotado compromete pilar fundamental da democracia, condição essencial para a integração regional.

Medidas a serem aplicadas em decorrência da ruptura da ordem democrática no Paraguai estão sendo avaliadas com os parceiros do MERCOSUL e da UNASUL, à luz de compromissos no âmbito regional com a democracia.

O Governo brasileiro ressalta que não tomará medidas que prejudiquem o povo irmão do Paraguai.

O Brasil reafirma que a democracia foi conquistada com esforço e sacrifício pelos países da região e deve ser defendida sem hesitação.

O Embaixador do Brasil em Assunção está sendo chamado a Brasília para consultas.

Aliados de Lugo anunciam resistência ao novo governo do Paraguai
Um grupo de movimentos sociais e pequenos partidos políticos no Paraguai anunciou hoje (23) que pretende fazer oposição ao governo do novo president...
Dilma e ministros discutem situação política no Paraguai
Sub-TítuloA presidenta Dilma Rousseff está reunida, no Palácio da Alvorada, com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, para discutir ...


Eles que resolvam os problemas deles. Nós temos os nossos próprios. E não são poucos.
 
Luca Morato em 24/06/2012 12:34:56
O Brasil não tem que meter o nariz nos problemas internos de outros países, pois aqui não dão conta dos deveres de casa, não sei porque se meter nos problemas dos outros. Pura demagogia, para não dizer outra coisa. Se pelo menos dessem conta das atrocidades políticas internas do país... ao invés de tantos processos sem solução. Pais corrupto é assim, cuida do quintal dos outros e esquece o seu.
 
Ed Borges Dourado em 24/06/2012 12:16:35
Os outros chefes de estados condenam apenas porque possuem o rabo preso e têm medo que isso aconteça com eles tb. Mas como nosso congresso é todo macunado com o executivo, dificilmente aconteceria isso nos dias atuais. Resta-nos acreditar no Judiciário.
 
Thiago Kalunga em 24/06/2012 12:10:00
Aprovo a agilidade dos parlamentares paraguaios pena que isso não acontece aqui no Brasil
 
nelson chemin em 24/06/2012 08:44:18
O Paraguay é um país soberano. Povo alegre e trabalhador. O Congresso é escolhido pelo seu povo. Dos 45 senadores, 39 votaram pelo Impeachiment de Lugo. Não acredito que com essa maioria tenham decidido contra a vontade do seu povo. As autoridades brasileiras estranham tamanha rapidez, porque aqui os processos andam a passo de tartaruga (veja o caso mensalão), até hoje sem solução, uma vergonha!
 
ademir gomes em 24/06/2012 08:08:28
Chega ser revoltante,enquanto brasileiros morrem em chacina no Paraguai, o poder maior da nossa nação condeba o Impeachment do Presidente Paraguaio. Isso só se da um nome desrrespeito ao ser humano ou seja se o cidadão não tem nome na midia não tem nenhum valor, do que adianta o Brasil participar de tratados Internacionais p/ proteger direitos Humanos e ficar do lado oposto na hora de defende-lo
 
porfirio vilela em 24/06/2012 07:20:58
o brasil, demorou muito pra tomar atitude,,,,...qualquer idiota sabe que foi um golpe nojento de politicos nojentos.....
 
carlos barbosa em 24/06/2012 07:08:10
Ademir Gomes, concordo com você. Houve respeito ao rito paraguaio, portanto os demais países não devem se entrometer. Além disso, o governo de lá estava dando apoio irrestrito à movimentos que "metiam os pés pelas mãos", invadindo fazendas produtivas e perseguindo compatriotas de origem brasileira. Se caiu, deve ter tido um motivo. Esquerda brasileira, se cuida que tua batata está assando!
 
Gustavo Ribeiro em 24/06/2012 01:02:14
ridulo o Brasil se posicionar condenando um fato consumado politicamente e, nos preceitos constitucionais daquele pais. É como se China, França, Est.Unidos ou qualquer outro país condenasse o Congresso Brasileiro quando caçaram o mandato do Collor.
 
Fernando Dias em 23/06/2012 10:21:57
Vamos lá presidenta mostra que o Brasil es forte e não covarde,como diz o hino não foge a luta,nem teme a morte...
 
arivaldo paiva em 23/06/2012 09:34:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions