A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

09/07/2016 12:23

Campanha virtual busca ajuda para índios marcados por despejo e miséria

Aline dos Santos
Crianças em meio às trouxas de despejo ocorrido na quarta-feira. (Foto: Tiago Botelho)Crianças em meio às trouxas de despejo ocorrido na quarta-feira. (Foto: Tiago Botelho)

Uma campanha na internet arrecada dinheiro para dar moradia provisória a índios despejados nesta semana em Dourados. A reintegração de posse foi cumprida na quarta-feira (dia 6) na Fazenda Serrana, que fica às margens da BR-463,entre Dourados a Ponta Porã.

A fazenda fica região do Curral de Arame, ocupada desde 2013 por índios guarani-kaiowá que lutam pela demarcação do Tekoha Apika'y, nome dado à terra indígena. A vida dos índios é marcada pela precariedade, o que levou o MPF (Ministério Público Federal) a classificá-la como a comunidade mais miserável de Mato Grosso do Sul.

O MPF tinha solicitado a compra de uma parte da área reivindicada, para que os índios ficassem acampados até ser finalizada a demarcação, atualmente em curso pela Funai (Fundação Nacional de Saúde).

Contudo, no ano passado, o juiz Fábio Kaiut Nunes, da 1ª Vara da Justiça Federal em Dourados, revogou liminar concedida pela juíza da mesma vara, Raquel Domingues do Amaral, que determinava à União a compra de 30 hectares de terra para a comunidade de Apika'y.

Como o acampamento fica próximo à rodovia, pelo menos oito índios morreram atropelados nos últimos anos, entre adultos e crianças. Quem quiser colaborar deve clicar aqui 

 

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions