A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

22/10/2015 10:45

"Mercado saturado" em SP fez quadrilha vir a MS para furtar chineses

Luana Rodrigues e Filipe Prado
 Felipe Diego Espanhol, 22, um dos membros da quadrilha presos. (Foto: Fernando Antunes) Felipe Diego Espanhol, 22, um dos membros da quadrilha presos. (Foto: Fernando Antunes)
Delegado titular da Derf(Delegacia de Repreensão a Roubos e Furtos), Luiz Alberto Ojeda. (Foto: Fernando Antunes)Delegado titular da Derf(Delegacia de Repreensão a Roubos e Furtos), Luiz Alberto Ojeda. (Foto: Fernando Antunes)

A polícia apresentou, na manhã desta quinta-feira(22), dois homens suspeitos de assaltar duas famílias de chineses que moram em Campo Grande. O crime foi praticado há uma semana, e a princípio a polícia havia dito que os bandidos tinham levado R$ 48 mil em dinheiro, mas depois a investigação descobriu que o valor furtado era R$ 108 mil. O dinheiro estava guardado em um guarda-roupa e uma cômoda dos apartamentos das vítimas.

Conforme o delegado titular da Derf (Delegacia de Repreensão a Roubos e Furtos), Luiz Alberto Ojeda, os autores foram presos, mas três comparsas ainda não foram identificados. Felipe Diego Espanhol, 22, e Lucas Fidelis de Paula, 22, estavam em um ônibus interestadual e acabaram detidos em Avaré, no estado de São Paulo, com o dinheiro e pertences das vítimas.

Felipe e Lucas vieram de carro, juntamente com os comparsas. Na quinta-feira(18) eles fizeram o roubo e na sexta mesmo decidiram retornar a Capital paulista, no entanto, três foram de carro e os dos presos de ônibus. Em uma abordagem da PRE(Polícia Rodoviária Estadual) de São Paulo, policiais encontraram o dinheiro e as joias. Questionados sobre a origem, eles não souberam explicar, mas depois acabaram confessando o crime.

Foram os objetos, aliança e uma medalha com a imagem de entidades chinesas, que fizeram com que os policiais identificassem a dupla como autores dos roubos aqui na Capital. "Essa prática é comum em São Paulo, mas como o 'mercado' por lá ficou muito saturado, eles partiram para outras cidades em Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia", explicou o delegado.

De acordo com o delegado, a quadrilha agia há dois anos. Uma pessoa de descendência ou aparência chinesa os acompanhava, para facilitar a entrada dos bandidos nas residências das vítimas, se passando por um parente.

A identificação das vítimas era pela internet. Por meio de redes sociais e outros mecanismos que indicassem o endereço das famílias estrangeiras, que costumam guardar dinheiro em casa. "Em São Paulo é comum por conta dos imigrantes ilegais, que geralmente não denunciam os crimes quando são vítimas, o que não é o caso das famílias que moram aqui", disse.

Em Campo Grande, a quadrilha ainda teriam tentado furtar duas outras casas, mas foram impedidos pelos porteiros. A duple presa foi indiciada por furto qualificado e associação criminosa. Felipe foi trazido para o presídio de Campo Grande, já Lucas permanecerá preso em São Paulo, pois responde por outros crimes por lá. Os outros três comparsas estão sendo procurados pela polícia.

 

Dois são presos acusados de furtar R$ 48 mil de famílias chinesas
A Derf (Delegacia de Repreensão a Roubos e Furtos) prendeu na última sexta-feira (16) dois homens acusados de furtar R$ 48 mil de duas famílias chine...
Bandidos furtam coreanos e levam R$ 20 mil que estavam em guarda-roupa
Uma família coreana, que mora no Centro de Campo Grande há 10 anos, teve a residência furtada nesta quinta-feira (15). Os bandidos levaram R$ 20 mil ...
Homem é baleado nas costas enquanto caminhava na 14 de Julho
Jovem de 23 anos foi baleado nas costas enquanto caminhava na Rua 14 de Julho, no Bairro Cabreúva, em Campo Grande. Hugo Vinícius Crisanto de Lima fo...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions