A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

19/01/2018 10:42

A roupa não seca? Verão atípico tem mais chuva e temperaturas amenas

Para a alegria de quem ama o calor, as temperaturas devem se elevar em fevereiro

Danielle Valentim e Bruna Kaspary
(Foto: Marina Pacheco)(Foto: Marina Pacheco)

Lavar roupa, correr no parque ou até aproveitar a piscina neste verão está complicado. Chove quase todo dia. Outra consequência das chuvas atípicas neste mês de janeiro são as temperaturas mais amenas do que o normal. 

Segundo a meteorologia, a atuação da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) proporcionou até o dia 15 de janeiro volumes de chuva que superam os 100 mm em Campo Grande, quando o esperado para todo o mês é de 206 mm e a média histórica é de 212,6mm.

O verão começa oficialmente no dia 21 de dezembro, às 14h28, e vai até 13h15 do dia 20 de março, pelo horário de Brasília. Climatologicamente as características do verão começaram a ser sentidas desde a virada de novembro para dezembro.

Com tanta chuva, a queda da temperatura é consequência. Conforme balanço do professor e meteorologista Natálio Abrão, este comportamento visto durante todos os últimos dias, encharcou o solo nos limites máximos e a nebulosidade diária fez com que a radiação solar global caísse acentuadamente.

“Em consequência as temperaturas máximas não atingiram valores normais para o mês. A radiação normal atinge 1000 kj/m2, mas em dias de céu nublado a radiação atinge, em média 285 kj/m2”, explica Natálio.

Em 2017, as chuvas de todo o mês de janeiro somaram 121 mm, diferente deste ano que até o dia 15 se aproxima da mesma quantidade. O recorde de chuva do ano passado foi atingido em novembro com o registro de 315,8 mm. A região da cidade com o índice maior de chuva é a Câmara dos Vereadores com 142,3 mm. A região onde menos choveu até agora é a região da Vila Popular, na Embrapa, com 093,6 mm.

A costureira Natalina de Lourdes Crestani, de 65 anos, percebeu que está mais fresquinho e acredita que está chovendo muito mais que ano passado. “Normalmente as chuvas são rápidas e curtas no verão, mas esse ano estão muito intensas e com ventos fortes. Muita chuva acaba ficando mais fresquinho”, disse.

Com relação às temperaturas, janeiro de 2017 registrou calorão de 34,6, em Campo Grande, contra variações de 28 a 31°C, neste ano. A administradora Jéssica Santos Costa, de 26 anos, tem tomado mais cuidado com as roupas da filha pequena, por causa do vento fresco. “Tem chovido bem mais. Todo dia, sem nem esperar, chove e faz frio”, pontua.

A maior parte da chuva no Sudeste e no Centro-Oeste ocorrerá principalmente na primeira metade do verão. O risco para enchentes se eleva, mas para a alegria de quem ama o calor, as temperaturas devem se elevar em fevereiro.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions