ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 35º

Capital

“Acabou tudo e tá tudo bem”, diz morador de casa destruída por incêndio

Incêndio começou por volta das 9h30 e, em cerca de uma hora, chamas destruíram casa no Bairro Mata do Jacinto

Por Ana Paula Chuva e Bruna Marques | 23/07/2021 11:11
Dono de imóvel e bombeiros em frente à casa, na Mata do Jacinto (Foto: Henrique Kawaminami)
Dono de imóvel e bombeiros em frente à casa, na Mata do Jacinto (Foto: Henrique Kawaminami)

Morador da casa que pegou fogo no Bairro Mata do Jacinto, em Campo Grande,  não quis falar sobre o incêndio que destruiu o local. Ao Campo Grande News, o homem de 72 anos, mora no local há cerca de 25 anos e não estava em casa no momento do fogo.

“A casa é minha. Pegou fogo, acabou tudo e tá tudo bem”, disse o idoso bastante irritado. À reportagem ele ainda contou que não estava em casa e recebeu uma ligação avisando sobre o incêndio.

"O fogo começou no quintal, tentei pegar uma mangueira para apagar, mas a PM não deixou. Pegou fogo nos passarinhos e acabou com a casa.", afirmou o homem.

As chamas duraram cerca de 1 hora e rapidamente consumiram a casa que fica na Avenida Philomeno Costa.  Relatos são de que uma senhora estaria no local e resistiu para sair da casa, mas foi retirada pelos vizinhos

De acordo com equipe da PM (Polícia Militar), eles realizavam rondas na região, viram a fumaça e grande movimentação na rua e foram verificar o que estava acontecendo. Quando chegaram, o botijão de gás já havia sido retirado da casa e as chamas estavam muito altas.

Fumaça foi vista de longe e tomou conta da rua. (Foto: Henrique Kawaminami)
Fumaça foi vista de longe e tomou conta da rua. (Foto: Henrique Kawaminami)

Aposentado que estava aguardando a filha em frente à casa, contou que ouviu os estalos e viu o fogo se alastrar em questão de segundos.

“Sai do carro correndo. Vi umas gaiolas no muro e corri para tirar. Tinha cinco passarinhos, se eu não tivesse visto eles estariam mortos.  O fogo aumentou em questão de segundos”, disse Francisco de Assis Gomes, 67 anos.

No momento que a casa pegou fogo, pais participavam de reunião na Escola Municipal Elpídio Reis que fica em frente à casa e foram avisados pela direção da escola sobre o fogo.

“Foi desesperador, tinha muito barulho. A casa tem muito lixo, foi rápido para se espalhar. A diretora correu e avisou a gente porque os carros estavam todos aqui na frente”, afirmou Lais Santos, 32 anos, mãe de aluno.

O barulho das chamas foi tão alto, que pedreiro que trabalhava cerca de seis casas para baixo, ouviu e foi ver o que estava acontecendo.

Bombeiro jogando água dentro da casa para controla incêndio. (Foto: Henrique Kawaminami)
Bombeiro jogando água dentro da casa para controla incêndio. (Foto: Henrique Kawaminami)


"Estávamos eu e meu ajudante. Ouvimos o estouro e corremos para ver. O fogo estava muito alto. Os vizinhos tentaram usar a mangueira, mas não deram conta",contou Jesus rodrigues Teixeira, 53 anos, pedreiro

No local viaturas e caminhão pipa do  Corpo de Bombeiros fizeram o controle das chamas. Vizinhos tentaram conter o fogo com mangueiras para evitar que as casas ao lado fossem também atingidas.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário