ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Advogado alega que não sabia de drogas dentro de desodorantes

Paulo Roberto Massetti, 53 anos, atua há 30 anos na área criminal e nunca haviso sido preso

Por Viviane Oliveira | 11/03/2021 09:50
Cocaína estava escondida em potes de desodorante (Foto: divulgação / Agepen) 
Cocaína estava escondida em potes de desodorante (Foto: divulgação / Agepen)

O advogado Paulo Roberto Massetti, 53 anos, preso por volta das 14h30 de ontem (10) ao tentar entrar no Instituto Penal Feminino Irmã Zorzi com drogas escondidas em embalagens de desodorante disse que não sabia que levava entorpecentes. Ele pegou os pertences em frente ao presídio com as famílias das clientes, que cumprem pena na penitenciária.

Segundo a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), com o advogado foram localizados cinco potes, quatro com cocaína e um com maconha. Os produtos foram enviados para a Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico).

Conforme o auto de prisão em flagrante, o advogado contou que iria entregar pertences para cerca de 15 clientes que não possuem carteiras de visitantes. Entre os objetos, havia colchão, ventilador, produtos de limpeza, roupas e materiais de higiene. Os materiais, disse à polícia, foram adquiridos por ele justamente para evitar o risco de receber objetos entregues por familiares contendo droga escondida.

Advogado chegando para depor na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário do Centro (Foto: Paulo Fracis)
Advogado chegando para depor na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário do Centro (Foto: Paulo Fracis)

Porém, quando já estava em frente ao presídio recebeu mensagem de familiar de uma cliente, identificada apenas por Milene, dizendo que precisava entregar produtos de higiene para três presas. Ao pegar as sacolas com os objetos na frente da penitenciária, o advogado disse que teve cautela de vistoriar objeto por objeto, “passou o dedo no creme, tocando o fundo dos vasilhames, mas não encontrou nenhuma irregularidade”.

No momento da vistoria, os policiais penais inseriram um ferro nos potes dos cremes de desodorantes, oportunidade em que localizaram o entorpecente. Em frente ao estabelecimento penal, há câmeras de segurança que poderão mostrar a ação de Paulo Roberto, que vem ao encontro do que ele disse na delegacia. A mulher que entregou os produtos ao advogado será investigada, assim que for identificada. O advogado, que atua há 30 anos na área e nunca havia sido preso, passará por audiência de custódia nesta manhã no Fórum.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário