A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

01/06/2015 11:12

Agressores podem não ir para a cadeia mesmo tendo torturado cadelinha

Luana Rodrigues
Cadelinha foi encontrada sem parte do couro e com duas patas quebradas (Foto: Reprodução/WhatsApp)Cadelinha foi encontrada sem parte do couro e com duas patas quebradas (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Os acusados de torturarem e arrancarem o couro da cadelinha Vitória Guerreira podem continuar em liberdade. Isso porque, de acordo com a lei, o crime de maus tratos é considerado de "menor potencial ofensivo", o que faz com que os agressores apenas respondam um termo circunstancial de ocorrência e não sejam detidos. O crime ocorreu na tarde deste sábado(30) e gerou comoção nas redes sociais. 

De acordo com o delegado Wilton Vilas Boas de Paula, titular da Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista), as investigações para identificar os autores começaram na manhã desta segunda-feira. "Conversei com as pessoas que recolheram ela e agora vamos registrar o boletim de ocorrências, já que ninguém havia oferecido denúncia, agora as investigações podem tomar um rumo mais preciso", explicou.

Apesar do interesse da polícia em identificar os acusados, o delegado explica que, mesmo após eles serem encontrados, devem responder em liberdade. "O que ocorre é que em crimes em que a pena é inferior a dois anos, como é o caso de maus tratos a animais em que a penalidade prevista é de três meses a um ano, o acusado apenas assina um termo circunstancial e responde em liberdade", disse.

O delegado também explicou que o único agravante seria se os agressores tivessem sido presos em flagrante ou se Vitória não resistir aos ferimentos e morrer. "Em caso de morte do animal, a pena pode ser aumentada em até um sexto do período",afirmou.

 

Vitória está recebendo alimento e medicação na veia (Foto: Reprodução/WhatsApp)Vitória está recebendo alimento e medicação na veia (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Recuperação - Vitória Guerreira continua internada na clínica Petit Bichon. De acordo com a médica veterinária, Jucimara Costa Pereira, responsável pelo tratamento da cadelinha, ela responde melhor ao tratamento desde ontem. "A situação dela se estabilizou melhor essa noite, controlamos a oscilação da temperatura e a preocupação agora é com as inflamações", explicou a médica.

Conforme Jucimara, o tratamento com células tronco, pelo qual Vitória poderá passar, só será iniciado em uma semana, e se o quadro de inflamações e infecções estiver sob controle. "É um tratamento para recuperação da pele e dos músculos que não pode ser feito se houver qualquer inflamação", pontuou.

 

Homem de 30 anos é esfaqueado em bairro e fica em estado grave
Bartolomeu Gomes de Araújo Barbosa, 30 anos, ficou gravemente ferido após ser atingido a golpes de faca no abdômen, na noite de ontem (13), na Rua Bo...
Após documento vazar, Sesau diz que hemogramas não foram suspensos
A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirmou que os hemogramas continuam sendo feitos na rede pública de saúde de Campo Grande. A informação inici...


Agora imagina esse tipo de "adolescente" solto na sociedade. E o pior é que devem estar "se achando". Queria ver esse tipo de "machão" encarando uma onça na unha.
 
Guilherme Arakaki em 01/06/2015 18:37:06
Absurdo isso!!!
Só porque são adolescentes não podem pagar o crime que cometeram? E se isso fosse com uma criança? Na minha opnião se fizeram com um bichinho tão inocente, fariam com uma criança também! MONSTROS!!!
Deveriam pagar por esse crime sim! pra aprender! Ficar pelo menos 1 ano presos!
 
drika em 01/06/2015 13:03:59
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions