A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

26/04/2011 18:22

Alunos da rede municipal ficam sem aula nesta quarta-feira à tarde

Jorge Almoas

Paralisação acontece após professores rejeitarem proposta de reajuste da prefeitura

Após assembléia na tarde desta terça-feira, os professores da rede municipal de ensino ligados à ACP (Sindicato Campograndense dos Profissionais da Educação Pública) decidiram paralisar as atividades no período da tarde desta quarta-feira (27) para nova discussão.

A classe rejeitou a proposta de reajuste salarial apresentada pelo prefeito Nelson Trad Filho. Pela proposição, a prefeitura concederia incorporação da regência de 100% e ganho real de aproximadamente 6,5%, o que foi negado pela categoria.

Outro ponto da proposta do prefeito é o reajuste linear de 1,5% no mês de outubro.

Em contraproposta, a ACP pede incorporação de 100% da regência de classe ao salário base, mais 10% de reajuste linear.

Amanhã, a partir das 13h30, os professores reúnem-se em Assembleia Geral novamente e discutem uma nova proposta. Cerca de 4 mil professores são ligados à ACP, entre profissionais que atuam na rede municipal e estadual.

Hoje, o prefeito Nelson Trad Filho fixou o reajuste entre 6,09% e 7,5% com o Sisem (Sindicato dos Funcionários e Servidores Municipais de Campo Grande).

O índice varia de acordo com a categoria de referência. Resta discutir ainda o reajuste para o sSindMed-MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul).

Reajuste para servidor público de Campo Grande pode chegar a 7,5%
O reajuste dos servidores públicos municipais de Campo Grande deverá ficar entre 6,09% e 7,5%, de acordo com a categoria a que pertence. Os índices f...
Professores e funcionários de escolas particulares terão 7,5% de reajuste
Professores e funcionários de escolas particulares terão 7,5% de reajuste salarial retroativo a 1º de março. O acordo foi fechado nesta segunda-feir...
Sisem rejeita proposta de Nelsinho e quer reajuste de 12% para servidores
Servidores municipais de Campo Grande negaram a proposta do prefeito de reajuste de 6,10% e aprovaram em assembleia realizada na noite de ontem (14),...


Não sou professor, apoio vocês, lembro do passado seis meses sem salarios, sem saude, vamos lutar para colocar de novo a quele que colocou o estado nos eixo PT, neles
 
Alberto Pontes Filho em 27/04/2011 10:52:08
Até quando temos que fingir que o Brasil possa ser um PAÍS de PRIMEIRO MUNDO se os nossos governantes não querer dar aos nossos educadores melhores salarios, condições de trabalho, e quando é para falar da EDUCAÇÃO em propaganda eleitoral todos falam bonito e agora cade as promessas......quero resposta Srs. POLÍTICOS..KKKKKKKKKkkkkkkkkkkkkkk......................................................
 
Ramão Coelho em 27/04/2011 10:27:16
todo apoio a classe docente !!!!

professores UNI-VOS
 
wilson faria lima em 27/04/2011 09:35:34
Eu entendo a importância dos professores e inclusive os defendo, mas a prefeitura tem respeitado o piso nacional e com a gratificação o valor é inclusive superado. Não acho que os professores não devam reivindicar suas melhorias, mas o diálogo e a conversa podem trazer melhores resultados e não prejudica nossas criaças.
 
Bruno Toniatti em 27/04/2011 09:04:49
É lamentável que ainda precisamos mendigar todos os anos aquilo que nos é de direito:Reajuste anual. A qualidade é a marca principal da Semed, porém o respeito aos profissionais não caminha junto com a postura implantada pela mesma. Precisamos sim, nos manifestar. CHEGA de passividade!
 
Claudia Gonçalves em 27/04/2011 08:10:44
Muito tem se discutido sobre o ensino de qualidade, mas na realidade o que vemos é o ensino de quantidade. Salas superlotadas, sobrecarga de trabalho do professor como planejamentos, diários, avaliações, sem contar o desrespeito e a indisciplina dos alunos para com os mesmos. . Partindo do pressuposto que a educação é a base para a construção de uma sociedade digna e justa reivindicamos aos nossos governantes uma politica séria e compromissada com esta categoria que são os agentes transformadores desse país.
 
ANA LUCIA NOBREGA CHARLES ALPIRE em 27/04/2011 08:01:04
ISTO É O QUE OCORRE, QUANDO DÃO A LIBERDADE DOS CONCURSOS, ONDE PESSOAS INESCRUPOLOSAS, QUEREM SER FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS, MEROS SERVIDORES DA SOCIEDADE, PARA SE ACOMODAREM NA ESTABILIDADE EMPREGATÍCIA, ESSE TAL DE CONCURSO PÚBLICO, O DIREITO DE PERMANECER TRABALHANDO, TERÁ QUE SER EQUIPARADO A C.L.T, QUE PREDOMINA A OBRIGATORIEDADE DE PRODUZIR, SEM NEGLIGÊNCIA, QUE NÃO QUISER TERÁ QUE SER DEMITIDO A BEM DOS SERVIÇOS PÚBLICOS, POIS TANTO DE SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS, ESTADUAIS E FEDERAIS, ATÉ O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, SÃO FUNCIONÁRIOS, SERVIDORES SOCIAIS, TRABALHADORES, TERÃO QUE SEREM EXEMPLARES, COMO OS TRABALHADORES DAS EMPRESAS PRIVADAS, QUE SE EQUIPAREM URGENTEMENTE AS LEGISLAÇÕES TRABALHISTAS, E UNIFIQUEM A C. L.T, QUEM QUISER QUE TRABALHE, QUE ONRE A OBRIGAÇÃO DE TRABALHAREM, RESPEITANDO DO DIREITO PATRONAL BRASILEIRO, CONCURSOS PÚBLICOS, SEM ESTABILIDADE, É O NECESSÁRIO PARA ESTE PAÍS, E AÍ CESSARÁ O DIREITO DE PARALISAÇÃO, DE PRODUZIR, PARA OS PATRÕES, POVO, SOCIEDADE BRASILEIRA, PARA OS FILHOS DE DEUS, OS BONS, OS MELHORES, OS ELITES, AS DIFERENÇAS DESTE PAÍS, AS MINHAS CONSIDERAÇÕES, SEJAM EXEMPLARES, PARA UMA FAMÍLIA DIVINA E BRASILEIRA MORALISTA, QUE DEUS AGRADECE, SE NÃO O MAL, AGRADECE, ESCOLHAM, FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS.
 
PEDRO BRAGA em 27/04/2011 07:52:29
O prefeito para aumentar o nosso salário é essa enrolação. Professor deveria ganhar por produtividade e hora extra. Nós professores que ficamos abarrotados de provas, diários, planejamentos e sem contar a indisciplina dos alunos que são jogados nas escolas e muito mais não é levado em consideração. Vamos sim, fazer a paralisação amanhã e reivindicar os nossos direitos.
 
Angela Alves da Silva em 26/04/2011 08:45:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions