A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

17/07/2013 18:40

Alunos da UFMS pedem saída de reitora e intervenção de ministério

Bruno Chaves e Evelyn Souza
Manifestantes levaram mensagens de repúdio ao protesto (Foto: Cleber Gellio)Manifestantes levaram mensagens de repúdio ao protesto (Foto: Cleber Gellio)

Cerca de 40 pessoas da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), entre alunos e servidores, se reuniram nesta quarta-feira (17), na concha acústica da instituição, para protestarem contra a reitora Celia Maria Oliveira. Eles pedem a saída da dirigente e a intervenção do MEC (Ministério da Educação) nas irregularidades da instituição

O representante da CUT (Central Única dos Trabalhadores), José Abelha Neto, foi ao local para prestar orientações aos presentes. “Sou contra as contratações administrativas feitas pela reitora. Ela está nomeando pessoas que não têm condições de exercerem seus cargos”, justifica.

Questionado sobre essas condições, Abelha exemplifica dizendo que existem pessoas nomeadas que estão respondendo processos na Justiça.

Já Carlos Simões, que é técnico em equipamento de precisão do Centro de Ciências Biológicas da UFMS, disse que participou do ato porque “as primeiras denúncias que resultaram na Operação Sangue Frio foram feitas por esse mesmo grupo no dia 7 de fevereiro deste ano”.

“Na época, eram denúncias de irregularidades das obras da UFMS e do Hospital Universitário. Essas denúncias foram para o Ministério Público, que acabou constando irregularidades maiores no Hospital do Câncer e no tratamento de oncologia e radioterapia da cidade”, lembrou.

De acordo com os manifestantes, a reitora sabia de todas as ações de Adalberto Siufi, que é professor aposentado da universidade. “Ele deve responder processo administrativo na UFMS porque as denúncias foram feitas na época em que ele era servidor da instituição. Então ele pode perder aposentadoria”, afirma Carlos.

Por causa dessas irregularidades, os presentes no protesto querem a intervenção do MEC na UFMS. Por meio de um abaixo assinado, eles pedem que integrantes do ministério venham a Campo Grande para analisarem as denúncias de irregularidades.

“Se o MEC não comprovar nada, que ela [reitora] continue. Mas se eles constatarem, que ela e o Siufi saiam da UFMS”, avalia.

Irregularidades – Entre as irregularidades citadas pelos integrantes, está o processo de contratação emergencial de uma empresa de manutenção de ar condicionado. Segundo os manifestantes, no dia 7 de fevereiro deste ano a universidade firmou contrato no valor de R$ 1,4 milhão com a empresa.

“Manutenção de ar condicionado não justifica o pedido de emergência. Isso é um absurdo, contrato sem licitação. Esse contrato corresponde de 02/07/2012 a 28/12/2012”, conta Simões.

Ainda de acordo com o rapaz, em outro contrato, a universidade solicitou, novamente, pregão para manutenção de aparelho de ar condicionado. “Era um contrato de R$ 6 milhões pelo serviço. Onze empresas tentaram licitação e a que ganhou foi a mais cara e, coincidentemente, a que já tinha prestado serviço anteriormente”, afirma.

Protesto – Os integrantes do protesto compareceram à concha acústica da universidade munidos de tablados de madeira com mensagens de “Fora Celia”, “Democracia”, “Privatizar não é solucionar” e “A gente não quer só comida”.

“Temos que nos unir e começar a observar mais os problemas da universidade”, avaliou o acadêmico de economia Renan Araujo, de 20 anos.

Cantando “até o Papa renunciou, Celia, chegou a sua vez de renunciar”, os manifestantes encerraram o ato e marcaram uma nova manifestação para a próxima segunda-feira (22), ás 17h no mesmo local.

UFMS diz que respeita manifestação contra reitoria, mas não vai se manifestar
A assessoria de imprensa da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) disse que a instituição respeita as manifestações democráticas, mas que...
Reitora da UFMS será alvo de manifestação nesta quarta-feira
Acadêmicos da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) vão organizar nesta quarta-feira (17), a partir das 17h, na Concha Acústica do CCHS, ...
Reitora da UFMS quer se esquivar de responsabilidades do HU, afirma sindicato
Não bastassem virar alvo da CPI da Câmara, após denúncias de envolvimento na Máfia da Saúde, a participação da professora Celia Maria da Silva, reito...
Acareação entre Dorsa e reitora da UFMS é a mais concorrida até agora
A tarde desta quinta-feira na Câmara Municipal é concorrida por conta da acareação entre o ex-diretor do Hospital Universitário, José Carlos Dorsa, a...


Aposto que quando ela era estudante ela era contra a privatização!
 
Alex Moraes em 18/07/2013 10:49:40
Cade a união dos acadêmicos?? Gente vcs estão corretos em protestos, é dinheiro nosso que esta rolando....Professores se não tiver "rabo preso" entra na luta junto!!!!! A UFMS é uma das universidades mais concorridas do pais vamos fazer por merecer!!!
 
janaina Viol em 18/07/2013 10:33:26
3.500 servidores e 10.000 alunos. 40 "protestando"....
 
Filipe Alberto em 18/07/2013 06:56:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions