ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, SÁBADO  04    CAMPO GRANDE 18º

Capital

“Amanhã estou livre”, comemora estudante que há 2 semanas descobriu coronavírus

Thayany Silva, 23 anos, nem teve sintomas, mas se preocupa com quem pode pegar a doença e ficar em estado grave

Por Anahi Zurutuza | 25/03/2020 14:06
Foto do casal postada por Thayany no Instagram em 10 de janeiro, muito antes dos dois imaginarem que teriam o novo vírus (Foto: Arquivo pessoal)
Foto do casal postada por Thayany no Instagram em 10 de janeiro, muito antes dos dois imaginarem que teriam o novo vírus (Foto: Arquivo pessoal)


Thayany Silva, 23 anos, atendeu o telefone e confirmou: “amanhã estou livre”. A acadêmica de Administração é a primeira pessoa diagnosticada com o novo coronavírus em Mato Grosso do Sul e está isolada, dentro da própria casa, há 14 dias. Amanhã, no 15º dia, poderá sair do quarto.

A jovem namorada de Ueze Zahran Stamtis, 27 anos, neto do empresário Ueze Zahran, que mora no Rio de Janeiro (RJ) e testou positivo para o vírus, está em isolamento desde o dia 12 de março. O casal ficou “famoso” logo que o rapaz confirmou ter a Covid-19 e Thayany, em poucas horas, virou vítima de ataques virtuais. “Recebei muitas mensagens me xingando, me assustei”, disse ao Campo Grande News no dia 15.

Antes dos dois fazerem os exames, no dia 11, ela foi a uma festa na Valley, boate mais badalada de Campo Grande, que até fechou, em quarentena, depois que soube o diagnóstico da cliente. Para os haters, Thayane era a “culpada” por ter trazido o vírus para Mato Grosso do Sul. “Eu não sabia que estava com coronavírus, não tinha sintomas, não seria irresponsável de ir à festa doente”, esclareceu na entrevista anterior (leia aqui).

Hoje, por volta das 12h, a estudante atendeu a reportagem muito rápido. Antes de dar entrevista, ela tem outra missão: desinfetar o quarto todo. “Vou demorar bastante”, resumiu.

Ueze Zahran Stamtis terá de fazer o mesmo. “Tenho de limpar o quarto inteiro, teto, parede e tudo. Meu médico explicou, o vírus sobrevive em outras superfícies. E tem de ser eu, tem de ser o infectado”.

Jovem compartilha notícias e mensagens sobre a importância do confinamento para conter o vírus (Foto: Instagram/Reprodução)
Jovem compartilha notícias e mensagens sobre a importância do confinamento para conter o vírus (Foto: Instagram/Reprodução)

On-line – As páginas de Thayane e Ueze no Instagram “bombaram” nos últimos dias. Os dois usaram a rede social para passar mensagens de conscientização sobre a importância do isolamento social no combate ao avanço do coronavírus no País.

Ela não teve sintomas. “Senti incômodo na garganta, tomei remédio e não senti mais nada”. Já Ueze, teve febre.

A preocupação dos dois era não espalhar a doença, que pode levar outras pessoas à morte. Hoje mesmo, a jovem publicou matéria que diz que 79% das transmissões do novo vírus acontecem a partir de pessoas assintomáticas, como ela.

Em vídeo no stories, o rapaz contou que talvez tivesse de ficar mais 14 dias isolado. “Tudo bem. O que vou fazer? Não vou sair na rua, dando pirueta e infectando os outros”.

Veja os relatos dos dois últimos dias de Ueze no confinamento: