A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

13/09/2014 10:57

Amigos e artistas se mobilizam por medula para menina de 12 anos

Adriano Fernandes
Ligada as redes sociais como toda criança de sua idade, Caroline tem mais de 620 seguidores em rede social.(Foto:Arquivo Pessoal)Ligada as redes sociais como toda criança de sua idade, Caroline tem mais de 620 seguidores em rede social.(Foto:Arquivo Pessoal)
Exemplo de luta contra o câncer, a mensagem com a foto de Caroline é compartilhada via WhatsApp em incentivo a doação de medula.(Foto:Arquivo Pessoal) Exemplo de luta contra o câncer, a mensagem com a foto de Caroline é compartilhada via WhatsApp em incentivo a doação de medula.(Foto:Arquivo Pessoal)

Compartilhe Vida. Doe medula. A proposta é simples, mas o pedido exige a urgência para salvar a vida da estudante Caroline de Leno, 12 anos. Familiares e amigos recorrem às mídias sociais e ao aplicativo WhatsApp para conseguir um doador e salvar a vida da menina.

Internada em tratamento de leucemia desde 30 de agosto no Hospital do Câncer Alfredo Abraão, Caroline é um exemplo de perseverança contra a doença. Diagnosticada com leucemia pela primeira vez em 2011, quando tinha 9 anos, a menina enfrentou o desgaste de um tratamento durante 10 meses e foi curada. Em setembro de 2013, a menina mais uma vez se submeteu ao tratamento quando um linfoma foi detectado, e também foi curada, segundo familiares. 

Após novo diagnostico de leucemia, no final de agosto deste ano, a família e amigos iniciam a campanha de solidariedade e mobilizam até artistas do Estado.

Idealizada pelo consultor de marketing Fauez Ayoub, 28 anos, a campanha, que é compartilhada via WhastApp, traz uma breve explicação do procedimento de doação que tende a beneficiar não só Caroline, mas todos os que necessitam de uma medula.

Primeiramente o voluntário deve comparecer a qualquer hemocentro e se cadastrar após a retirada de amostra de sangue, em procedimento que não dura mais que cinco minutos, segundo Fauez. Em seguida o voluntário vai para um cadastro nacional de doadores, onde se compatível é acionado para doação.

Tendo como exemplo o caso de Caroline, a campanha frisa o aspecto solidário da iniciativa. Por ser nacional, o cadastro tem como principal objetivo a conscientização de que quando compatível, independente de quem necessite de uma doação, o voluntário pode ser acionado.

Caroline passa bem. A principal preocupação tanto da equipe médica quanto da família é mantê-la animada. Com aproximadamente 620 seguidores no Instagran, em sua conta @carolleno_, as expectativas são de que o apoio por meio de mensagens e compartilhamentos ajudem na autoestima da menina e na evolução do tratamento, até a descoberta de um doador compatível. Ela já recebeu até mesmo a visita dos cantores Munhoz, da dupla Munhoz e Mariano, e Henrique, da dupla Henrique e Diego.

“Estamos cansados, preocupados, mas temos fé e certeza de que a ela vai se curar mais uma vez", diz o pai, o empresário Ricardo de Leno, 36 anos. De acordo com Ricardo, ele e a esposa, a empresária Lucilene de Leno, revezam-se nos cuidados com a menina no hospital. “Eu fico durante o dia e a mãe durante a noite”, diz o rapaz.

O cadastro de voluntários para doação de medula ósseo pode ser feito no Hemocentro da Santa de Campo Grande. O horário de atendimento é das 7h às 17h e aos sábados das 7h às 12h.



Na Santa casa né....
 
marli aparecida borges dos santos em 13/09/2014 16:26:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions