A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

09/07/2015 11:22

ANTT garante oito obras na BR-163 para atender mudanças sugeridas

Flávia Lima
Preocupação de prefeitos é garantir travessias. (Foto: Divulgação)Preocupação de prefeitos é garantir travessias. (Foto: Divulgação)

Após reunião ocorrida em Brasília nesta quarta-feira (8), com a presença de 20 prefeitos de Mato Grosso do Sul, a ANTT (Agência Nacional de Transporte e Terrestre) confirmou que serão feitas oito intervenções viárias necessárias para garantir a travessia ao longo dos 30 quilômetros do macroanel rodoviário, extensão da BR-163, que devem ser duplicados nos próximos três anos.

Entre as intervenções não contempladas na primeira versão do projeto e que passaram a ser abrangidas no planejamento das obras, estão a construção de um mergulhão ou viaduto no acesso ao campus da Uniderp Agrárias; um mergulhão em frente ao Shopping dos Ipês (o tráfego urbano será feito por cima); viaduto para garantir acesso ao braço norte do anel que está em construção (entre as saídas de Rochedo e Cuiabá); alças de acessos ao bairro Moreninhas, na altura do Polo Empresarial Vilmar Lewandowski; à Rua Darwin Dolabani, região do Jardim Itamaracá, onde há grande concentração de oficinas às margens do macroanel; e na entrada para o Aeroporto Santa Maria.

Segundo o prefeito Gilmar Olarte (PP), a prioridade agora é elaborar estudos e projetos com detalhamento sobre o fluxo atual e a demanda potencial de crescimento do tráfego nos próximos anos em cada um dos dez trechos onde o município propõe travessias.

A cobrança destas intervenções teve como base, dados do Planurb (Instituto Municipal de Planejamento). De acordo com o levantamento, são necessárias obras de travessia, como mergulhões, viadutos, novas alças de acesso ou mesmo passarelas.

A prefeitura já iniciou o processo de contratação destes estudos que servirão de contraponto ou complementarão os dados que a CCR MS VIA, concessionária que administra a rodovia, está usando para definir as intervenções.

Segundo Olarte, os técnicos da ANTT ressaltaram que o projeto de duplicação BR-163 vai respeitar as peculiaridades de cada cidade. “Todas as demandas dos municípios que tiverem embasamento técnico serão acolhidas no projeto. Não haverá uma proposta de cima para baixo, imposta pela concessionária”, afirmou o prefeito.

Outras intervenções previstas serão na rotatória localizada no final do anel da saída para São Paulo, no acesso a MS-040 e no viaduto sobre a confluência com a BR-262.

O projeto preliminar da duplicação previa apenas quatro pontos de travessia na zona urbana. Diante do risco de isolamento de bairros na saída para Três Lagoas, que concentram 150 mil habitantes, o prefeito chegou a cogitar a possibilidade de não licenciar a obra, nem emitir o GDU (Guia de Diretrizes Urbanísticas). As obras complementares estão orçadas em R$ 350 milhões

Apesar de acatar as intervenções solicitadas, o diretor do Planurb, Marcos Cristaldo, disse que a ANTT ainda resiste quanto a duas outras intervenções na altura da confluência com a Avenida Ana Rosa Castilho e a abertura de uma pista marginal ao longo de todo o trajeto do macroanel.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions