ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Apesar de esforços de lojistas, de novo Black Friday “flopa” no Centro

Lojas abriram cedo, mas dia de promoções não atraiu clientes nas primeiras horas da manhã desta sexta

Por Natália Olliver e Idaicy Solano | 24/11/2023 10:32
Lojas abriram cedo nesta sexta-feira mas não atraíram clientes (Foto: Paulo Francis)
Lojas abriram cedo nesta sexta-feira mas não atraíram clientes (Foto: Paulo Francis)

Dia de promoções da Black Friday não atraiu clientes para as lojas do centro de Campo Grande nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (24). O movimento, quase inexistente, em frente aos comércios não estava relacionado às ofertas, mas sim a pendências do dia a dia. O cenário mostra que apesar dos esforços de alguns lojistas, mais uma vez Black Friday “flopou” no Centro. A  palavra significa que algo não deu certo ou não saiu como o esperado.

Em 2022, o comércio vendeu apenas 8% do total previsto. As expectativas eram boas, visto que era a primeira promoção pós-pandemia de covid-19. O número é da CDL (Câmara de Diligentes Lojistas de Campo Grande).

Nesta sexta, o panorama visto no Centro foi o mesmo de 2022: poucas pessoas com sacolas, muitas atrasadas para o trabalho e nenhuma fila em frente às lojas. As que aceitaram conversar com a reportagem alegaram que não estão vendo muitas ofertas como as lojas anunciaram. Entre os “gatos pingados”, Andrea Cristina Pinheiro Machado, de 26 anos. Ela explicou que estava no local, com a avó, para escolher o presente de casamento. A ideia é aproveitar as ofertas para comprar uma geladeira e ajudar quem está presenteando ela.

Andrea Cristina estava procurando uma geladeira com valor mais barato nesta sexta-feira (Foto: Idaicy Solano)
Andrea Cristina estava procurando uma geladeira com valor mais barato nesta sexta-feira (Foto: Idaicy Solano)

“Hoje estou vendo um presente. Então vim escolher e aproveitar a Black Friday, pra pessoa que está me dando pagar um pouco mais em conta. Não sei quem é. Ela (avó) não quer me contar quem é que vai dar, mas eu to achando que é ela”. Andrea casou recentemente e está mobiliando a casa.

Patrícia Scarpellini, de 45 anos, é uma das que não estavam no Centro atrás de promoções. Enquanto aguardava uma das lojas onde pega os produtos abrir, a revendedora de cosméticos aproveitou para dar uma olhada nas vitrines. “O preço da caixa estava o mesmo preço, e nas lojas maiores não vi promoção. Tem muitas coisas atrativas para o Natal, mas eletrodomésticos eu não vi”.

Patrícia Scarpellini não encontrou muitas promoções nas lojas (Foto: Idaicy Solano)
Patrícia Scarpellini não encontrou muitas promoções nas lojas (Foto: Idaicy Solano)

Ela acrescenta que chegou a ver descontos ao longo dos mês de novembro em lojas de departamento. “Na C&A teve muita promoção legal, casaco de R$ 200 tava por R$ 60 e mesmo estando um calor eu comprei pra aproveitar. No decorrer do mês, vi promoções relâmpagos em algumas lojas. Não notei diferença”.

Antônio José Ângelo Motti, secretário executivo do Procon-MS, explica ao Campo Grande News que o modelo de promoções é mais famoso nos Estados Unidos e no Brasil não está restrita apenas a um dia.

"Nos Estados Unidos, eles são mais fiéis de fazer só na última sexta-feira de novembro. Mas no Brasil, por uma questão nossa mesmo, da criatividade brasileira, nós fazemos a Black Friday muito antes disso. Então, a maioria das lojas de rede nacional já estão praticando a mais tempo. Hoje é o dia D, que é 'O Grande Dia', um dia simbólico dessas vendas com desconto e é importante o consumidor observar esse processo do desconto se ele realmente existe."

Angelo Motti, secretário executivo do Procon-MS (Foto: Idaicy Solano)
Angelo Motti, secretário executivo do Procon-MS (Foto: Idaicy Solano)

Apesar das propagandas, Angelo ressalta que é comum que as ofertas anunciadas não existam.

"Existem descontos de fato, mas também existem aquelas situações que é muito comum de não haver o desconto. Eles fazem o mesmo preço que eles praticavam em setembro, fazem uma elevação um pouco antes e depois dão um desconto em cima dessa elevação. Isso é fraude. E é importante ao consumidor ter essa responsabilidade no consumo dele. Acompanhar a evolução do preço, dos produtos, de que ele realmente necessita."

O departamento de fiscalização está no Centro para averiguar se de fato as lojas estão cumprindo com o que anunciaram nas vitrines.

Black Friday - De acordo com a CDL, no Centro, 300 lojas declararam que iriam participar das promoções.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias