A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

31/12/2015 17:36

Área onde era Portelinha está tomada pelo mato, lixo e já surge uma nova favela

Flávio Paes
Cleide murou  em junho para a área com o filho e o marido (Foto:Flávio Paes)Cleide murou em junho para a área com o filho e o marido (Foto:Flávio Paes)
Mato, lixo, entulho, toma conta da área planejada para ser uma avenida (Foto:Flavio PaesMato, lixo, entulho, toma conta da área planejada para ser uma avenida (Foto:Flavio Paes

A área que até novembro do ano passado era a comunidade Portelinha, que pelo planejamento hoje deveria ser uma larga avenida margeando o Córrego Segredo,está tomada pelo matagal, moradores da região usam o local para despejar lixo, entulhos de construção e já há seis barracos, do que pode ser o início da formação de um novo núcleo de favela.   Mais de um ano depois da desocupação, a Prefeitura, sequer providenciou a limpeza, nem delimitou o trajeto onde passará o prolongamento da Avenida Heráclito Figueiredo, que termina (logo após o conjunto Estrela do Sul), na Rua Johanesburgo.

 Segundo um dos moradores, Antonio Alves Almeida, usuários de droga e até traficantes perambulam pelo local, transformado em ponto de venda e entrega de entorpecentes. “Na semana passada,quando viajei para Sonora, onde passei o Natal com meu filho, eles tentaram entrar no meu barraco” , revela.

O aposentado diz que entrou está na área , em companhia da esposa que faleceu há dois anos, em junho de 2011, mas não conseguiu passar pela triagem realizada pela Emha (Agência Municipal de Habitação). “Fui até na defensoria para que eles me arrumem uma casa. Não tenho como pagar aluguel, Ganho um salário mínimo (recebe o LOAS) e tenho problemas de doenças”, comenta, Antonio, que tem 70 anos.

Quem também mora na área é Cleide Rodrigues Moreira, que se mudou há três meses, em companhia do filho e do marido. “Vamos continuar aqui enquanto deixarem”, afirma. 

As famílias que moravam na Portelinha foram reassentadas num conjunto habitacional construído nas proximidades (Ary Abussaf e Gregório Corrêa). As casas foram entregues no dia 31 de outubro do ano passado e pelo planejado, a Prefeitura teria que retirar os barracos para abertura do prolongamento da Avenida Heráclito Figueiredo até o bairro Nova Lima, conectando com a Avenida Consul Assaf Trad. 

As obras,o chamado Parque Linear Segredo, estão paradas há dois anos porque a empreiteira (Construtora São Luiz) cobra a correção do orçamento inicial (R$ 18,6 milhões),mas até agora o realinhamento de preços não foi autorizado pela Caixa Econômica Federal. Só 21% do projeto foi executado.

A continuidade das obras também foi comprometida porque a prefeitura está sem recursos (R$ 3 milhões) para pagar a indenizar e  desapropriar 29 imóveis localizados no trajeto da avenida que se estenderá até a Avenida Zulmira Borba, passando pelo Corredor da Nova Lina (Rua Marques de Herval).


Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions