ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Árvore de grande porte cai durante chuva e destrói muro no Caiçara

Também houve registro de quedas de árvores e galhos na Rua Itapeva e Wanderlei Pavão, na região do Jardim Aeroporto

Por Viviane Oliveira e Aletheya Alves | 20/10/2019 13:56
Árvore de grande porte foi arrancada pela raiz e destruiu parte do muro da residência (Foto: Marcos Maluf)
Árvore de grande porte foi arrancada pela raiz e destruiu parte do muro da residência (Foto: Marcos Maluf)

A chuva deste sábado acompanhada com ventos de 55 km/h arrancou árvores em vários bairros de Campo Grande causando transtorno e prejuízos a moradores e comerciantes. Conforme o meteorologia da Uniderp, Natálio Abraão, foram 26 mm (milímetros) de precipitação em pouco mais de uma hora, suficiente para deixar estragos por toda a parte. 

Na Rua Aniceto da Costa Rondon, no Bairro Caiçara, por exemplo, uma árvore de grande porte foi arrancada pela raiz e destruiu o muro de uma residência. Por lá, os moradores relataram que a árvore já estava podre e caiu durante o vendaval de ontem. Segundo os vizinhos, o dono da casa está viajando e ainda não sabe o que aconteceu. A reportagem tentou falar com ele por telefone, mas não conseguiu contato. 

Perto dali, na Rua Itapeva, na Vila Popular, também houve queda de galhos e de energia elétrica. "Foi mais vento que chuva. O galho caiu 30 minutos depois que começou o temporal", disse Natan Ferreira, 20 anos. Como a árvore era pequena foi cortada e retirada pelos próprios moradores. O rapaz comentou também que houve pico de energia por cerca de 20 minutos.

Árvores caída na Rua Itapeva ...(Foto: Aletheya Alves)
Árvores caída na Rua Itapeva ...(Foto: Aletheya Alves)
e na Warderlei Pavão com Araioses (Foto: Aletheya Alves)
e na Warderlei Pavão com Araioses (Foto: Aletheya Alves)

Na Rua Wanderlei Pavão, no Jardim Aeroporto, a vizinhança ficou sem energia durante toda a tarde, segundo relatos de Mariele Barros de Brito, 23 anos. "Moro há 1 ano aqui e foi a primeira vez que vi uma chuva tão forte assim", contou.

Dono de um açougue na região, Marcelo Capataz, 41 anos, ficou sem energia desde o meio-dia até as 19h. "O galho caiu na fiação e deu problema. Tive que desligar a câmara fria e os maquinários. Fiquei com receio de perder toda a mercadoria", lamentou.

Na Vila Sílvia Regina, uma parte da calçada desmoronou e caiu dentro de uma cratera que se formou às margens da Rua Macaé, próximo ao Córrego Serradinho. Um poste de iluminação pública e até o gramado do trecho também foram parar no barranco. 

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário