A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

08/01/2014 12:16

Assassinato e mão decepada de mulheres chocam no início de 2014

Graziela Rezende
Jovem foi morta e marido é principal suspeito. Foto: Reprodução Facebook.Jovem foi morta e marido é principal suspeito. Foto: Reprodução Facebook.

A média de atendimento continua a mesma: 70 mulheres por dia, procurando informações ou ajuda para denunciar o agressor em Campo Grande. No entanto, o início do ano já começa “traumático” na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), que investiga uma execução a queima roupa e outra suposta agressão contra uma jovem de 18 anos.

“Estamos com o mesmo padrão de atendimento, no entanto estão ocorrendo crimes de maior gravidade e mais denúncias de violência doméstica ao mesmo tempo. E com os casos em evidência, só podemos dizer que a sociedade precisa repensar os seus valores, porque se trata principalmente de uma questão cultural”, afirma a delegada Marília de Brito Martins, adjunta da Deam.

A “cultura” na qual a delegada explica é o sentimento de posse que ainda exala no homem possessivo, que qualifica a mulher como um objeto e acredita que ela “não pode ter vontades”. “É por isso que existem a nossa delegacia, políticas públicas e tantas promotorias especializadas”, comenta ao Campo Grande News a delegada.

Agressão ou queda? – Na virada do ano, Giovanna Nantes Tresse de Oliveira, 18 anos, foi encaminhada para a Santa Casa com fraturas no rosto, duas no maxilar e duas abaixo do olho direito. O principal suspeito das agressões é o namorado Matheus George Tannous, 19 anos.

Na ocasião, ambos estavam sozinhos no 9° andar de um edifício localizado na rua São Paulo, que pertence a mãe da vítima. O suspeito fala que a menina bebeu, ficou “depressiva” e caiu algumas vezes, sendo que a Polícia investiga o fato, com laudos periciais, depoimentos e outras provas.

Dias depois uma execução na Capital – Ao retornar do trabalho, às 19h30 do sábado (4), Dayane Silvestre Uliana, 26 anos, foi morta com três tiros na cabeça, no cruzamento das avenidas Manoel da Costa Lima e das Bandeiras. O principal suspeito é o ex-marido, que não aceitou o término do relacionamento. Ele está foragido. A jovem deixa um filho de um ano e cinco meses.

Na primeira segunda-feira (6) do ano, mais uma triste notícia de Sonora, a 364 quilômetros da Capital. Maria Cícera Solidade, 24 anos, teve a mão decepada a golpes de facão. O ex-marido dela, José Edson Santos, 27 anos, não aceitava o fim do relacionamento e tentou matar a mulher.

Segundo a Polícia, o casal estava separado há alguns meses. O acusado morava em Rondonópolis (MT) e no início da semana foi até Sonora propor um acordo amigável à vítima. No momento em que os dois ficaram sozinhos, José desferiu vários golpes de facão contra Maria. Além dela, José Cícero, 25, irmão da vítima, também foi atingido nos braços e nas mãos. Ele tentou salvar a irmã do agressor e iniciou uma luta corporal.

As vítimas foram socorridas e encaminhadas para o Hospital Municipal. Maria, por sua vez, foi transferida para Campo Grande devido a gravidade dos ferimentos e a mão amputada. Ela não corre risco de morte. O agressor conseguiu fugir e se escondeu em um matagal. Ele é procurado pelas polícias de Sonora e do estado vizinho, Mato Grosso.



Eu não deveria se dar o trabalho de responder a uma pessoa que domina mal o próprio idioma. Usa perífrases e escreve "KKK", típico de gente ociosa. Mas vale como comprovação do nível de doutrinação marxista nas escolas. Carlos, os livros, que você diz que leu, eu já os li várias vezes, não precisa você nem se dar o trabalho de citá-los. Graças aos estudos, parei de sofrer lavagem cerebral de professores marxistas-granscianos, e de refestelar-se no lixo cultural moderno. Longe de garantir "liberdade" para as mulheres, a revolução sexual trouxe doenças venéreas, sexualização precoce e transformou a mulher em cobaia de anticoncepcionais. Se você estudasse EM VEZ DE se embrutecer, saberia que, o patriarcalismo conseguiu proteger, de fato, as mulheres, coisa que o leviatã moderno nunca fez.
 
Anício Boécio em 09/01/2014 12:29:25
Afffff... Anício Boécio: Filhão, vc falou, falou e falou um monte de besteiras!
 
JESSICA MACHADO em 08/01/2014 16:06:14
KKKKKK . Esse cara que afirma que o machismo é culpa da Revolução Industrial e Iluminismo, tem problemas. Se o Iluminismo e a Revolução Industrial contrapuseram o poder do Clero tanto na Inglaterra como na França, obviamente que a onda machista de perpetuação de uma família patriarcal proporcionou sua não aceitação através da busca de manutenção de privilégios, entre elas , o patriarcalismo. Como pode a Revolução Sexual(década de 60 do século XX) ter "ativado" o machismo? A Revolução Sexual libertou as mulheres de seres como você, boçal da época das cavernas. Vai ler um livro de verdade ao invés de ficar escrevendo asneiras contra mulheres e homens inteligentes.
 
Carlos Alberto em 08/01/2014 15:57:38
Ontem na televisão, vi um "socióloga" dizendo 'sociologices', - também chamado de argumentum ad ignorantiam. Ela estava quase para soltar a pérola e dizer que o machismo é culpa da cultura judaico-cristã. Cultura esta que oprime a mulher, deixa-a submissa etc. Qualquer um, que estudou o mínimo, sabe que o cristianismo foi a religião que mais colaborou para a equidade de direitos das mulheres. Negar isso é negar os fatos. A cultura do machismo tem suas raízes na revolução industrial e em seu subproduto, o pequeno núcleo chamado família moderna. Que, nem de longe lembra a família patriarcal, totalmente desvencilhada dos laços burocráticos com o Estado e dotada de autonomia funcional e jurídica. Em suma:o machismo é um produto moderno. Herança maldita do Iluminismo e de sua revolução sexual
 
Anício Boécio em 08/01/2014 13:57:28
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions