A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

17/03/2011 18:39

Assassino diz que matou vereador de Alcinópolis porque foi humilhado

Aline Queiroz e Jorge Almoas

Acusado nega que exista mandante para o crime ocorrido em outubro do ano passado

Acusados foram presos instantes depois do crime. (Foto: Arquivo).Acusados foram presos instantes depois do crime. (Foto: Arquivo).

Autor confesso do assassinato do vereador Carlos Antônio Carneiro, 40 anos, Irineu Maciel, 34 anos, disse que foi humilhado e, por este motivo, cometeu o crime, ocorrido em 26 de outubro do ano passado, quando o parlamentar estava em Campo Grande.

Ele participa de audiência esta tarde, presidida pelo juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluízio Pereira dos Santos.

Os outros réus no processo, Aparecido Souza Fernandes, 34 anos, e Valdemir Vansan, 37 anos.

Irineu foi o primeiro a prestar depoimento e garantiu que não existe mandante para o crime.

Ele morava em Campo Grande e disse que foi a Alcinópolis, município distante 402 quilômetros da Capital, por duas vezes.

Em uma ocasião, Irineu disse ter encontrado o vereador na rodoviária da cidade, onde estava à procura de emprego.

Irineu disse ter pedido a Carlos Antônio uma passagem para voltar a Campo Grande e o vereador, na versão do acusado, o xingou de “vagabundo”.

Questionado pelo magistrado se este seria o motivo do crime, Irineu respondeu: “Já mataram muita gente da minha família e nunca ninguém foi preso”.

Irineu também afirmou que surpreendeu o vereador no dia do assassinato e, por este motivo, Carlos Antônio não teve como se defender.

O vereador foi morto com três tiros na Avenida Afonso Pena, perto do Hotel Vale Verde.

Irineu Maciel e Aparecido Souza Fernandes, que pilotava a motocicleta, foram presos, a cerca de 700 metros do local.

Valdemir Vansan, o terceiro envolvido, é acusado de ter contratado Irineu para executar o vereador.

Segundo as investigações, Valdemir teria contratado Irineu para executar Carlos Antônio pelo valor de R$ 20 mil. As investigações apontam que o pistoleiro recebeu um adiantamento de R$ 3 mil e um revólver.

Mandante - Familiares da vítima apontam o prefeito da cidade, Manoel Nunes (PR), como mandante do crime.

PDT quer tirar do PSDB vaga de vereador de Alcinópolis assassinado em 2010
O PDT protocolou hoje na Câmara dos Vereadores de Alcinópolis requerimento pedindo para que a vaga deixada pelo ex-presidente da Casa, Carlos Antônio...
Policial que prendeu assassino de vereador é promovido por ato de bravura
O Conselho Superior da Polícia Civil concedeu promoção especial por ato de bravura ao investigador de Polícia Civil, Adilson Rodrigues da Costa. No d...


Que desculpa mais esfarrapada que esse sujeito arrumou. Embora não haja desculpa para se cometer um crime. Mas, alegar que por ter sido chamado de vagabundo, ele tenha tido todo um trabalho para matar é demais. Isso prova que não é só vagabundo, mas sem moral, sem escrúpulos e delinquente.
Pena que não exista pena de morte. Nos livraríamos de outros crimes bárbaros como esse.
Cadeia nele!
 
Lara Cardoso em 18/03/2011 08:19:30
Que histórinha heim seu Irineu...Que magistrado que vai acreditar em vc, seu advogado é mágico? Onde vcs querem ir com esse depoimento, e assim o tempo passa, o tempo voa e tudo continua numa boa. Mete um zaeli nele que ele conta, assassino covarde, cadê o mandante? Lamentável, enquanto isso a familia da vitima pena por uma justiça morosa e decadente. Pois se pegaram esse verme 700 mts do local do crime, confessaram, aí o prefeito some da cidade e depois relatam que nada disso aconteceu, e que o crime foi pq o aludido vereador teria chamado o verme de vagabundo. Que história da carochinha heim, que Deus abençoe a todos.
 
douradense nato em 18/03/2011 07:36:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions