ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Atacadista deve pagar R$ 15 mil a mecânico acusado de furtar garrafa de tequila

Cliente disse ter sido abordado por 6 seguranças e acusado de furtar garrafa de tequila

Por Ana Paula Chuva | 10/08/2020 15:15
Clientes no pátio do Atacadão. (Foto: Arquivo)
Clientes no pátio do Atacadão. (Foto: Arquivo)

Decisão da 3ª Vara Cível de Campo Grande condenou o supermercado Atacadão ao pagamento de R$ 15 mil por danos morais a um cliente acusado de furto. Em julho de 2017, o mecânico, 34 anos, foi abordado por seguranças e acusado do crime indevidamente no estacionamento do local.

Conforme os autos, por volta das 15h do dia 28 de julho de 2017, o mecânico realizou suas compras no mercado junto com alguns amigos. Eles estavam a caminho de Bonito onde participariam de um campeonato de skate.

No momento em que se dirigia para o carro, o mecânico relatou que foi abordado por seis seguranças que o acusaram de furtar uma garrafa de tequila sendo obrigado a retirar as compras do veículo.

Após conferência, os seguranças constataram que todos os produtos que estavam no carro, estavam descritos na nota fiscal. O mecânico contou ainda que a abordagem aconteceu não só diante dos amigos, mas como dos clientes que passavam pelo estacionamento se sentindo humilhado e constrangido.

A defesa do mercado alegou não ter cometido nenhum excesso e que os seguranças agiram de forma respeitosa e cordial, sendo a conferência um procedimento corriqueiro do estabelecimento e que o mecânico não teria provas dos danos morais.

Na decisão, proferida pelo juiz Juliano Rodrigues Valentim, as provas testemunhais produzidas durante o processo comprovaram que não havia mais o procedimento de conferência de mercadorias no supermercado, de forma que não pode falar em situação corriqueira, mas em suspeita de furto.

 “Logo, é evidente o constrangimento e humilhação experimentados pelo requerente, ao ser injustamente acusado de um crime que não cometeu, na frente de colegas, funcionários do estabelecimento e outros clientes”, asseverou.