ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, DOMINGO  11    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Bêbado, policial militar é preso após bater em vários carros estacionados

Caso ocorreu na noite de domingo (17) no Jardim Masur, em Campo Grande

Por Kerolyn Araújo | 18/01/2021 06:33
Carro de policial (de vermelho) com marcas de batidas. (Foto: Direto das Ruas)
Carro de policial (de vermelho) com marcas de batidas. (Foto: Direto das Ruas)

Policial Militar, de 30 anos, foi preso na noite deste domingo (17) após colidir o veículo que conduzia contra carros estacionados no Jardim Mansur, em Campo Grande. Ele estava bêbado.

Conforme informações do boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi acionada por volta das 22h55, para atender um acidente de trânsito na Rua Maria Luísa Damas, no Bairro Rita Vieira.

Durante abordagem, o motorista que causou o acidente foi identificado como policial militar e teve a arma recolhida. Ainda no local, a equipe da BPTran (Batalhão de Trânsito da Polícia Militar) recebeu a informação de que, momentos antes, o condutor também havia batido em veículos estacionados na Avenida Rita Vieira de Andrade, entre eles, um caminhão.

Caminhão que estava estacionado em avenida foi atingido por carro de PM bêbado. (Foto: Direto das Ruas)
Caminhão que estava estacionado em avenida foi atingido por carro de PM bêbado. (Foto: Direto das Ruas)

O militar foi submetido ao teste do bafômetro e o resultado foi de 0,93 miligrama de álcool por litro de ar expelido dos pulmões, o que configura crime. Ele foi preso em flagrante e levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Cepol.

O carro do militar, um Peugeot, estava com o documento vencido e foi encaminhado ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

Outros motoristas que passavam pelo local flagraram a batida na Avenida Rita Vieira de Andrade e fizeram a abordagem do motorista. Ao Campo Grande News, publicitária, de 50 anos, definiu o momento como traumatizante.

"Conseguimos pará-lo e meu marido tirou a chave do carro dele. Depois, tivemos de devolver porque a polícia não chegava e ficamos com medo porque ele estava armado", contou.

Segundo a publicitária, por telefone, a Polícia Militar não soube informar quanto tempo levaria para uma viatura ser encaminhada ao local. "Percebemos que estávamos em uma exposição que não era mais nosso papel de cidadão. O resto deveria ser feito em abordagem policial", comentou.

Aproximadamente 30 minutos depois do contato por telefone, equipes da Polícia Militar chegaram ao bairro e localizaram o autor nas proximidades.


*Matéria editada no dia 18 de janeiro, às 8h09, para acréscimo de informações

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário