A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

02/04/2019 09:55

Bebê deixado em posto ganha pais que há apenas 3 meses esperavam adoção

Jovem se apresentou voluntariamente, mas não chegou a ser presa. Bebê foi entregue à nova família por meio do programa 'Dar a Luz'.

Ronie Cruz
Cabelo e cobertor apreendidos que passaram por perícia da Polícia Civil (Foto: Direto das Ruas)Cabelo e cobertor apreendidos que passaram por perícia da Polícia Civil (Foto: Direto das Ruas)

O bebê recém-nascido, que foi abandonado no CRS (Centro Regional de Saúde) do Nova Bahia, já está com a nova família que há 3 meses esperava na fila de adoção. O processo foi rápido porque o casal não havia limitado características para adotar um filho. A mãe biológica, que não teve a identidade revelada, se apresentou voluntariamente na Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul nesta segunda-feira (1º), para formalizar a entrega do bebê e disse que não tinha condições de criá-lo.

A jovem não chegou a ser presa. De acordo com a juíza Katy Braun do Prado, da Vara Infância e da Juventude do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), a delegada não viu necessidade de representar pela prisão por ela ter se apresentado voluntariamente e estar disposta a assumir a responsabilidade pelo abandono. “Agora a delegada vai encaminhar para a Justiça o inquérito e o promotor vai avaliar se é caso de denunciá-la ou algo assim”, afirmou.

A pena para abandono material varia de um a 4 anos de detenção com multa que varia de 1 a dez salários mínimos, em caso de condenação.

Segundo a juíza, a jovem disse em depoimento que não tinha condições de criar a criança. “A intenção da mulher de deixar no hospital foi imaginando que ele fosse encontrado para ser cuidado. Desesperada, a ideia na cabeça dela era protegê-lo e o lugar mais favorável para receber cuidados era ali”, disse.

Reportagem veiculada na sexta-feira (29) sobre o programa ‘Dar a Luz’ da Vara da Infância foi o que motivou a jovem a se apresentar à Justiça e assumir a maternidade da criança, conforme a juíza. O programa Dar a Luz foi criado há oito anos na Capital para atender mães com gravidez indesejada.

“Com o apelo que fizemos na mídia sobre o programa, ela compareceu na sexta-feira conversou no núcleo de adoção e daí ela foi encaminhada para a delegada que estava numa força-tarefa muito grande para encontrar essa mulher. Depois ela foi encaminhada para a Defensoria para formalizar a entrega do bebê ontem”, contou.

O bebê foi entregue à nova família na segunda-feira após quatro dias hospitalizado e passa bem.

Abandono - O bebê foi encontrado por um técnico de enfermagem, por volta das 4h30 da última quinta-feira (28). Ele estava próximo a uma parede enrolado em uma coberta suja e o corpo ainda estava com sangue, apontando que o parto havia sido recente. O cordão umbilical foi cortado de forma improvisada.

Na coberta a polícia também localizou fios de cabelo. Do centro regional, o bebê foi transferido para a Santa Casa. Segundo o hospital, ele nasceu com 2,6 kg e 48 centímetros. Até as últimas atualizações médicas, seu quadro de saúde era considerado estável e o recém-nascido passaria por uma bateria de exames.

Outras informações sobre o Programa 'Dar a Luz' podem ser obtidas pelo (67) 3317-3548.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions