ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Calorão aquece procura por manutenção e instalação de ar condicionado

Empresas registram aumento de 200% na procura pelos serviços na Capital

Por Jhefferson Gamarra e Cristiano Arruda | 22/09/2021 11:47
Especialista realizando manutenção em ar-condicionado na Capital. (Foto: Divulgação)
Especialista realizando manutenção em ar-condicionado na Capital. (Foto: Divulgação)

Com as temperaturas nas alturas, como as registradas nos últimos dias, em Campo Grande, mesmo em época de inverno, a procura por instalações e manutenções de condicionadores de ar disparou, fazendo com que empresas colocassem clientes em fila de espera, que podem chegar a 3 dias.

“Aumentou demais a demanda, cerca de uns 200%, estamos o dia todo na correria. Mas é sempre assim, no calorão, os aparelhos tem que funcionar o dia todo e acaba dando problemas por falta de manutenção correta, que deve ser feita em épocas de frio, quando tá parado. Fora a procura por instalações nessa época, onde as vendas disparam”, explica Renan Lorenzoni, engenheiro e sócio proprietário da Tinker Engenharia, empresa especializada em ar condicionado residencial e empresarial.

Empresário no ramo de ar-condicionado, Edilson de Paula está pensando até em aumentar a equipe. (Foto: Marcos Maluf)
Empresário no ramo de ar-condicionado, Edilson de Paula está pensando até em aumentar a equipe. (Foto: Marcos Maluf)

A onda de calor foi tão forte nos últimos dias, que pegou empresas de surpresa, que estão pensando até em aumentar a equipe para suprir a demanda. “Já espera por isso, mas não agora, e sim, para dezembro, estamos com lista de espera de até três dias para manutenção de aparelhos de clientes, na pandemia,  mandamos embora alguns funcionários e agora, estamos pensando em contratar novamente”, diz Edilson de Paula, proprietário de uma loja especializada em vendas e manutenção de ar na região central de Campo Grande.

Esse aumento na procura pela manutenção de ar-condicionado tem reflexos também no valor repassado aos clientes. Empresária Sandra Borges, que há 16 anos atua no ramo, sentiu um aumento nos valores dos produtos e, inevitavelmente, precisou repassar aos consumidores.

“Não tenho do que reclamar, pois tenho clientes fixos que compra comigo sempre, mas houve um grande aumento nos produtos em relação ao ano passado. Tem casos que quase não conseguimos lucrar. A procura é maior por manutenção, então, não tem como não repassar esses aumentos”, lamenta a empresária.

Os profissionais autônomos que fazem o serviço de instalação e manutenção sem vínculo com empresas, também estão com a agenda cheia. Em contato com dois profissionais, ambos afirmaram que a agenda está “bem corrida”, inclusive, com serviços sendo realizados no período noturno para “dar conta do recado”.

Funcionário realizando manutenção em aparelho em um loja. (Foto: Marcos Maluf)
Funcionário realizando manutenção em aparelho em um loja. (Foto: Marcos Maluf)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário