A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

13/08/2011 10:35

Campanha quer vacinar 71 mil contra sarampo para evitar volta da doença

Marta Ferreira e Aline dos Santos

Em Mato Grosso do Sul, campanha contra a poliomielite inclui também a vacina contra sarampo.

Criança recebe a gotinha da vacina contra paralisia infantil no colo do pai: proteção. (Foto: João Garrigó)Criança recebe a gotinha da vacina contra paralisia infantil no colo do pai: proteção. (Foto: João Garrigó)

A campanha de vacinação de hoje está imunizando as crianças contra a poliomielite e contra o sarampo. A meta para a imunização é maior para a vacina contra o sarampo em Campo Grande, em razão da preocupação das autoridades com o risco de que o vírus da doença volte a circular no País nos próximos anos com a movimentação maior de turistas, tanto de brasileiros viajando ao exterior quanto de visitantes de outros países atraídos por eventos como a Copa do Mundo.

Em Campo Grande, a campanha tem meta de imunizar 61 mil crianças de 0 a 5 anos contra a pólio e 71 mil conta o sarampo, doença que teve um caso registrado este ano em Mato Grosso do Sul, de uma turista francesa que já veio com a doença, segundo as autoridades.

Por causa desse registro, Mato Grosso do Sul é um dos estados onde está sendo aplicada, além da segunda dose da vacina contra a pólio, a vacina contra o sarampo.

Gotinha e injeção-A aplicação é obrigatória. A criança levada para tomar as gotinhas contra a paralisia infantil automaticamente recebe a injeção com a dose contra o sarampo.

Foram instalados na cidade pela Secretaria Municipal de Saúde 120 postos, que vão desde praças e terminais do transporte coletivo até supermercados.

A gerente-técnica do serviço de imunização da Secretaria de Saúde informou que, na primeira campanha contra a pólio, em julho, foram atingidos 94% da meta. Segundo ela, mesmo a dose que está aplicada agora é para todos, mesmo quem não recebeu a primeira.

Aos 2 anos e meio, a menina Lorena acordou cedo hoje e fo levada pelo pai, o operador de máquinas Gilson César Pereira, para ser imunizada. Ele comentou que aproveitou o dia de folga para garantir a proteção da filha contra as duas doenças.

“É o mínimo que se deve fazer”, comentou Ivanete Ceco, 37 anos, que levou os filhos Israel, de 3 anos, e Rebeca, de 1 ano, ao Ceinf (Centro de Educação Infantil) do bairro Paulo Coelho Machado, onde foi a solenidade de abertura da campanha.

O prefeito Nelson Trad Filho (PMDB), fez a abertura e alertou para a importância da vacinação, ao lembrar que no passado essas doenças “aterrorizavam” as famílias e hoje o Brasil é considerado livre delas, o que não ocorre em países como os da Europa, onde há circulação do vírus do sarampo, por exemplo.

A vacinação vai até as 17h. Confira no link a seguir a lista dos postos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions