A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

14/10/2013 16:51

Cheia de riscos, avenida cansa moradores com "tantas tragédias"

Lidiane Kober
Vários trechos da avenida, estão sem a proteção de guard rails (Fotos: Cleber Gellio)Vários trechos da avenida, estão sem a proteção de guard rails (Fotos: Cleber Gellio)
Mal sinalizada, interdição da via já resultou em acidenteMal sinalizada, interdição da via já resultou em acidente

Cheia de riscos, a Avenida Ernesto Geisel, uma das mais extensas de Campo Grande, é palco de acidentes diários. Cansados de assistir as tragédias, os moradores da região clamam por investimentos em sinalização e apelam aos motoristas pela redução da velocidade.

“Todo dia vejo acidentes aqui”, disse Jailson Souza Cunha, 47 anos, proprietário de uma empresa de ar condicionado para veículos, localizada na Ernesto Geisel, esquina com a Rua Brilhante. Ele já presenciou pelo menos três veículos caírem no Rio Anhanduí. O último acidente ocorreu há três meses.

Na frente do comércio do empresário, não há guard rails e até carros, estacionados em um estabelecimento vizinho pararam dentro da água. “Durante a madrugada, os veículos deslizaram do estacionamento até o córrego. Se tivesse os guard rails, o prejuízo seria bem menor”, comentou.

Para piorar a situação, a avenida conta com várias manilhas para bloquear faixas ao longo do trecho. Segundo Thiago Vinicius da Silva Atanázio, 28 anos, que trabalha em uma empresa localizada na Ernesto Geisel, em frente a um trecho em obras, foi preciso ocorrer um acidente para a prefeitura sinalizar a região.

“Na época de chuva, isso aqui vira um caos, num temporal desses, a terra desbarrancou e a prefeitura colocou as manilhas, o problema é que esqueceu de sinalizar e um motoqueiro viu em cima as manilhas e, como tinha um carro na faixa do lado, não conseguiu parar e se acidentou”, relatou Thiago.

Um dia após o acidente, a prefeitura teria colocado cones. “Recentemente, colocaram uma placa, sinalizando a redução de faixas”, completou. “Mesmo assim, os acidentes são constantes”, concluiu.

Curvas no prolongamento da Ernesto Geisel já foram palco de vários acidentesCurvas no prolongamento da Ernesto Geisel já foram palco de vários acidentes

Na outra ponta da avenida, no prolongamento da Ernesto Geisel, denominado de Prefeito Heráclito Diniz de Figueiredo, a maior preocupação dos moradores são as curvas e a falta de sinalização. “As curvas são muitas e o pessoal vem em alta velocidade”, comentou o frentista Leandro Cavalcante Rufino de Carvalho, 21 anos.

Ele mora no Bairro Estrela do Sul e trabalha em um posto de combustível localizado em frente à rotatória, esquina com a Avenida Mascarenhas de Moraes. Segundo o jovem, a sinalização no local é confusa e constantemente motoristas entram na contramão.

“Quem vem do bairro em direção ao centro e não conhece a região, entra na contramão, porque a rotatória é confusa”, relatou. O pior ainda, segundo ele, são as curvas. “Já vi oito capotamentos no meio dessas curvas”, contou Leandro.

Ainda de acordo com o jovem, o problema se agrava porque os motoristas ultrapassam a velocidade permitida. “O pessoal anda a 120km/h, até racha fazem”, revelou. Thiago também já presenciou disputa de corrida no trecho. “Passar de madrugada na região do Horto Florestal é um perigo, já cansei de ver racha ali”, comentou.

Para Leandro e Jailson, o caminho para reduzir os acidentes é a implantação de sinalização para inibir a velocidade. Thiago, por sua vez, é mais radical e defende o mesmo que o foi feito na Rua Maracaju. “O jeito é tapar o córrego”, disse. Ao mesmo tempo, os três cobram a conclusão das obras na região e mais guard rails para proteger os motoristas.

Morte – No último sábado (12), José Felício Fascincani, 29 anos, morreu, após ser atingido por um veículo Monza na Avenida Ernesto Geisel, próximo ao Parque Ecológico do Anhanduí. Ele conduzia uma moto 150 Fan de cor preta, parou no acostamento para atender ao telefone celular, quando foi atingido pelo carro, dirigido por Otacílio Valente Ramires, 43 anos.

Nesta segunda-feira (14), uma mulher de 55 anos ficou ferida ao perder o controle do carro que conduzia e atingir um poste de energia elétrica por volta das 5h da manhã. O acidente foi em uma curva na Avenida Prefeito Heráclito Diniz de Figueiredo, prolongamento da Ernesto Geisel.

Morador do Bairro Estrela do Sul, Leandro já presenciou oito capotamentosMorador do Bairro Estrela do Sul, Leandro já presenciou oito capotamentos
Thiago reclama da alta velocidade e revelou ver com frequência rachas na avenidaThiago reclama da alta velocidade e revelou ver com frequência rachas na avenida
Continua em estado grave motorista que atropelou motociclista na Ernesto Geisel
Continua em estado grave Otacílio Valente Ramires, 43 anos, que se envolveu em um acidente no último sábado na Avenida Ernesto Geisel, em uma curva p...
Motociclista resolve atender celular e morre atingido por carro em avenida
Um motociclista de 29 anos morreu na Santa Casa após ser atingido por um veículo Monza na tarde de ontem (12) na Avenida Ernesto Geisel, próximo ao P...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...


Concordo com o Sr. Danil Albuquerque.
 
Gilson Gomes em 15/10/2013 09:33:22
Radar e quebra molas resolvem a situação, não precisa inventar moda de onda verde, etc, simples e fácil, só negocia o preço do quebra molas porque eles estão cobrando demais para um negócio que em 6 meses começa a quebrar.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 15/10/2013 08:16:25
Acho que já passou da hora de a Prefeitura fechar a canalização do trecho que vai da região do [inacabado] Centro de Belas Artes até a ponte da rua Cubatão (na região do Norte Sul Plaza Shopping), a exemplo do que foi feito na avenida Fernando Corrêa da Costa, até mesmo porque o trecho já é canalizado e tirar do papel a tal revitalização mantendo o leito do rio Anhanduizinho a céu aberto a partir desse ponto, como havia sido anunciado na administração anterior... claro que com o recapeamento de toda a extensão da via e a devida sinalização, uma vez que a Ernesto Geisel é uma das principais avenidas da capital.
 
Daniel Albuquerque em 14/10/2013 18:19:25
Ao invés de investir milhões em guardrails, a prefeitura precisa reforçar a sinalização e principalmente a fiscalização no trecho. Não é a falta de proteções que fazem os motoristas caírem no córrego, e sim a imprudência e excesso de velocidade!
 
Eloy Marques em 14/10/2013 18:10:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions