A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

25/08/2015 15:15

Chocolate é o sexto a deixar Gaeco e também desconhece escândalo

Juliana Brum e Alan Diógenes
Vereador foi ouvido pelo promotor Marcos Alex (Foto - Marcos Ermínio)Vereador foi ouvido pelo promotor Marcos Alex (Foto - Marcos Ermínio)

O vereador Waldecy Nunes, o Chocolate (PP) foi o sexto depoente a deixar a sede do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) no início da tarde de hoje (25). O vereador afirmou durante o depoimento deixou claro que não houve compra de votos. Ele votou a favor da cassação do prefeito Alcides Bernal (PP), ele foi favorável a cassação.

Também contou que não sabe de nada sobre o que está acontecendo no momento porque saiu de casa direto para prestar esclarecimentos ao Gaeco e não teve acesso a nada.

Chocolate relatou que seu depoimento durou aproximadamente 40 minutos. Antes de entrar, todos os vereadores ficaram juntos em uma sala.

Ainda continuam no Gaeco: o vereador licenciado e secretário de saúde Jamal Salem (PR), vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB) e o presidente afastado da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador Mario Cesar (PMDB), todos serão ouvidos ao longo do dia.

Segundo o Gaeco, os envolvidos estão sendo ouvidos em uma escala respeitando o críterio de idade.

A operação deteve 13 pessoas para prestar depoimentos, cumpriu 17 mandados de busca e apreensão e resultou no afastamento do atual prefeito Gilmar Olarte(PP), denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e também do presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, Mário César de Oliveira.

As informações completas sobre a operação Coffee Break, deflagrada na manhã desta terça - feira(25) pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) , só serão reveladas às 15h, em uma entrevista coletiva, na Procuradoria Geral do Estado.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions